Publicidade
Segurança viária

Curitiba tem 360 cruzamentos com travessia elevada especial para pedestres

Curitiba tem 360 cruzamentos com travessia elevada especial para pedestres
(Foto: Daniel Castellano / SMCS)

O bairro Fazendinha vai ganhar uma travessia elevada na Avenida Frederico Lambertucci, entre as ruas Henrique Mattioli e Fernando de Souza Costa. Nesse ponto, será retirado o canteiro central e serão implantadas rampas de acessibilidade. O serviço, conduzido pela Secretaria Municipal de Obras, deve ser concluído até o dia 1 de agosto.

Esta nova travessia elevada se juntará às outras 360 existentes em Curitiba, desde as primeiras, que começaram a ser implantadas em 2005. Entre as mais recentes, estão as duas travessias elevadas colocadas na Rua João Alencar Guimarães, que integra o mais novo binário da cidade com a Rua Major França Gomes, no Santa Quitéria.

Conforme explica a superintendente de Trânsito, Rosangela Battistella, a implantação de faixa elevada se baseia em padrões e critérios estabelecidos em resolução do Conselho Nacional de Trânsito (Contran). “Trechos de vias muito íngremes ou com curvas, por exemplo, impossibilitam uma travessia elevada.”

Semáforo para pedestres

Já na ligação entre o Centro e o Bigorrilho, um novo semáforo exclusivo para pedestres foi instalado nesta semana. Atendendo a um pedido da comunidade, o equipamento começou a funcionar no cruzamento das ruas Desembargador Motta e Saldanha Marinho.

“A implantação de um equipamento como este leva em conta o volume de pedestres que passa pelo cruzamento em questão e pontos próximos que possam ter grande concentração de pessoas, como escolas, comércios ou igrejas”, exemplifica a superintendente Rosangela.

Para melhorar a segurança do pedestre, a Setran promove novas implantações e readequações nos semáforos da cidade. “Nossa equipe técnica faz avaliações constantes sobre a necessidade de aprimoramento, por toda a cidade, levando em conta fluxo de tráfego, cruzando dados, estatísticas e aspectos específicos de cada caso”, conta ela. O canal oficial para interação, esclarecimentos e sugestão de mudanças no trânsito é a Central 156 de atendimento ao cidadão.

De acordo com a superintendente de Trânsito, mesmo onde não há botão específico para acionamento, a preferência continua sendo do pedestre. “Ainda temos muito a amadurecer nas questões de respeito ao pedestre, precisamos mudar atitudes como buzinar ou acelerar o veículo enquanto o cidadão tenta atravessar a rua.”

Segurança

O pedestre também deve fazer a sua parte e manter a atenção redobrada ao atravessar a rua, de preferência sem utilizar fones de ouvido e celular. “São aparelhos que, apesar de parecerem inofensivos, retiram a atenção da pessoa para estímulos sonoros e visuais, que devem ser priorizados na hora da travessia”, orienta Rosangela.

O Código de Trânsito Brasileiro (CTB) indica que o pedestre deve procurar atravessar a rua em locais sinalizados. “Onde não há sinalização específica, os pedestres devem optar por atravessar transversalmente à via, de preferência na esquina e antes observar atentamente o movimento dos veículos, olhando para os dois lados, mesmo que a via seja de mão única”, acrescenta ela.

DESTAQUES DOS EDITORES