Covid-19

Desfigurado contra o Palmeiras, Athletico prevê mesmo cenário na Argentina

Leo Cittadini, do Athletico, contra o Palmeiras
Leo Cittadini, do Athletico, contra o Palmeiras (Foto: Fabio Wosniak / site oficial do Athletico)

O Athletico fez seu pior jogo em 2020 no sábado (28) e perdeu por 3 a 0 para o Palmeiras, pela 23ª rodada do Brasileirão, no Allianz Parque. O time paranaense não contava com 14 jogadores na partida – 11 que testaram positivo para Covid-19. E essa lista gigante de desfalques deve ser a mesma nesta terça-feira (1), contra o River Plate, na Argentina, pelas oitavas de final da Libertadores.

“O cenário não vai se alterar muito em relação a opções, vamos ver aquilo que se pode fazer. Já falei com os jogadores, não tem o que se lamentar, tem que ter uma resposta, capacidade de sofrimento, espírito de sacrifício muito grande para superar esse desgaste físico e mental”, disse o técnico Paulo Autuori, em entrevista para a rádio Banda B.

Sobre a fraca atuação em São Paulo, Autuori analisou o jogo. “Claramente não estávamos com a mobilidade que normalmente temos. Cometemos erros no início e pagamos por isso. É esquecer, sem lamentar”, disse. “Viemos com um goleiro apenas, sem reserva. O prejuízo poderia ser muito maior”, comentou.

A lista de desfalques do Athletico tinha 14 nomes. Onze deles por Covid-19: os goleiros Santos, Jandrei e Leonardo Linck, o lateral-direito Khellven, os zagueiros Felipe Aguilar e Zé Ivaldo, o lateral-esquerdo Abner, o volante Jaime Alvarado, os meias Fernando Canesin e Nikão e o ponta Geuvânio. Outros três ficaram de fora por lesão: o lateral-direito Jonathan, o lateral-esquerdo Márcio Azevedo e o ponta Vitinho. O time ficou sem goleiro no banco de reservas.

Jogo de sábado

Autuori armou o Athletico no 4-3-3, com Wellington (centro), Cittadini (direita) e Christian (esquerda) no meio-campo. No ataque, Kayzer (esquerda) e Bissoli (direita) jogavam nas pontas, com Walter como centroavante.

As baixas no Palmeiras eram Felipe Melo, Wesley, Luan Silva, Luiz Adriano e Jailson, todos em recuperação. Por Covid-19, os desfalques eram Raphael Veiga, Willian, Marcos Rocha e Renan. E Mayke estava suspenso.

O Palmeiras dominou o jogo com facilidade e fez o terceiro gol no início do segundo tempo. Depois disso, reduziu o ritmo e administrou o desgaste. O Athletico teve péssimo desempenho em todos os quesitos.

Ao fim do jogo, o Athletico somou 4 finalizações (1 certa), 43% de posse de bola, 77% de acerto nos passes e 1 escanteio. O Palmeiras obteve 21 finalizações (8 certas), 57% de posse de bola, 87% de acerto passes e 10 escanteios. Os números são do site Sofascore.