Publicidade
Marcos

Diretor do Paraná fala sobre Brasileirão 2018 e temporada 2019

Diretor do Paraná fala sobre Brasileirão 2018 e temporada 2019
Marcos é homenageado em 2017: agora diretor de futebol (Foto: Geraldo Bubniak)

O diretor de futebol do Paraná Clube, o ex-goleiro Marcos, falou nessa quarta-feira (dia 7) sobre as temporadas 2018 e 2019. Em entrevista coletiva, ele afirmou que a conquista do título do Campeonato Paranaense 2019 está entre as prioridades para a próxima temporada. Também comentou sobre o rebaixamento em 2018 e sobre a transferência do jogo com o Palmeiras para Londrina. 

“O principal objetivo de eu estar aqui é dizer que não é terra arrasada. Eu sei que hoje estamos todos tristes, não só hoje, mas desde o início do ano. Foi um ano difícil para todos nós. Venho para dizer que o Paraná está forte. Estamos trabalhando para dar muitas alegrias ao nosso torcedor”, declarou Marcos. “Eu imagino a cabeça do torcedor: 'Caiu e vai ficar mais 10 anos'. Eu tenho convicção, isso não vai acontecer”, garantiu.

Sobre 2019, Marcos prometeu um time competitivo. “Todas as competições que entrarmos, temos que entrar forte. O primeiro passo é formar a equipe para iniciar o Paranaense muito bem, em seguida a Copa do Brasil. Acredito que as coisas possam acontecer. Eu vou trabalhar para isso. O Paraná tem muitos anos que não vence o estadual, acredito que é importante para nós e para o torcedor”, destacou. 

O diretor revelou que tem conversado com o técnico Dado Cavalcanti sobre reforços para 2019. “A gente tem feito várias reuniões, não quer se precipitar e trazer alguém agora, para que as coisas aconteçam da melhor maneira possível. Acredito que estamos no caminho certo para que no próximo ano a gente atinja os objetivos que o clube almeja”, comentou.

PALMEIRAS EM LONDRINA
Marcos também confirmou que o jogo com o Palmeiras, em 18 de novembro, pela 35ª rodada, será em Londrina, no Estádio do Café. O Paraná aguarda apenas o aval da CBF para divulgar a transferência da partida. O diretor, porém, não deu mais detalhes sobre a negociação. 

A tendência é que o clube venda a bilheteria para uma empresa, que pagaria cerca de R$ 500 mil e arcaria com as despesas da realização do jogo. Ou seja, o Tricolor teria um lucro garantido de R$ 500 mil e não teria risco de prejuízo. A arrecadação com a venda de ingressos ficaria com a empresa. 

O Estádio do Café tem capacidade para 36 mil lugares. Se todos os lugares forem vendidos com ingresso médio a R$ 50, a arrecadação será de R$ 1,8 milhão.

O clube tem lucro médio de R$ 56 mil por jogo na Vila Capanema no Brasileirão. 

DESTAQUES DOS EDITORES