Publicidade
Bate-boca

Disputa por sede de Unespar provoca tumulto na Assembleia

A votação do projeto do governo que estabelece Paranavaí (região Noroeste) como sede da Reitoria da Universidade Estadual do Paraná (Unespar) provocou nesta terça-feira (4) confronto entre seguranças da Assembleia Legislativa e manifestantes contrários à medida. A proposta acabou sendo aprovada, mas seguranças da Casa chegaram a retirar a força um estudante que protestava contra a iniciativa nas galerias do plenário.

Desde o início da sessão, as galerias foram ocupadas por manifestantes favoráveis à instalação da Reitoria em Paranavaí, e os que defendiam que a mesma ficasse em Curitiba. A confusão maior ocorreu quando um manifestante que portava uma bandeira da União Nacional dos Estudantes (UNE) teve um cartaz tomado pelos seguranças e partiu para o confronto aos gritos exigindo a devolução do material. O presidente da Assembleia, deputado Valdir Rossoni (PSDB), interrompeu a sessão e determinou que ele fosse retirado.

A Unespar reúne oito faculdades estaduais que ainda não faziam parte de nenhuma das outras seis universidades mantidas pelo governo do Estado. A instituição conta com 67 cursos de graduação, cerca de 800 professores e aproximadamente 13 mil alunos e é composta pela Escola de Música e Belas Artes do Paraná (Embap); Faculdade de Artes do Paraná (FAP); Escola Superior de Segurança Pública (Academia do Guatupê); Faculdade Estadual de Ciências e Letras de Campo Mourão (Fecilcam); Faculdade Estadual de Educação, Ciência e Letras de Paranavaí (Fafipa); Faculdade Estadual de Filosofia, Ciências e Letras de Paranaguá (Fafipar); Faculdade Estadual de Ciências Econômicas de Apucarana (Fecea) e Faculdade Estadual de Filosofia, Ciências e Letras de União da Vitória (Fafiuv).

O Conselho Universitário da Unespar defende a instalação da sede da Reitoria na Capital. Já o governo alega que a instalação da mesma em Paranavaí reforça a proposta de interiorização do ensino superior, e que o argumento da distância entre Paranavaí e Curitiba deixa de existir porque está sendo criado um escritório, dentro da Secretaria de Ciência e Tecnologia, para atender as sete universidades públicas do Estado.

O governo alega ainda que consultou todos os municípios onde estão as faculdades reunidas da Unespar para que oferecessem contrapartidas para receberem a Reitoria e somente a prefeitura de Paranavaí se manifestou, oferecendo infraestrutura e manutenção por dois anos, o que representaria uma economia de R$ 3 milhões para o Estado.


Publicidade

Plantão de Notícias

Mais notícias

DESTAQUES DOS EDITORES