Publicidade
Doenças crônicas

Em Curitiba, 52,8% da população está com sobrepeso e 18,1% é obesa

Dados divulgados pelo Ministério da Saúde revelam que problema é crescente na capital paranaense

A obesidade é um problema crescente entre os curitibanos. De acordo com o Ministério da Saúde, 18,1% da população de Curitiba é obesa, enquanto o sobrepeso atinge mais da metade da população (52,8%). Os dados são da Pesquisa de Vigilância de Fatores de Risco e Proteção de Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico (Vigitel), divulgada ontem.
A realidade apresentada pelo estudo é alarmante, especialmente quando observados os dados de anos anteriores. Em 2007, por exemplo, 13,6% dos curitibanos eram obesos e 44,9% apresentavam sobrepeso, números bem abaixo da taxa atual. 
Considerando-se os dados nacionais, a obesidade entre os jovens teve aumento de 110% no período analisado (2007 a 2017). Esse índice foi quase o dobro da média nas demais faixas etárias (60%). No mesmo período, o sobrepeso cresceu 56%.
Por outro lado, a boa notícia é que parte da população parece estar se cuidando mais. É que o levantamento registrou  um aumento da prática de atividades físicas no tempo livre de 24,1% no período de 2009 a 2017 e uma queda de 52,8% no consumo de refrigerantes e bebidas açucaradas entre 2007 e 2017. A perda da preferência por esses tipos de bebidas ocorreu sobretudo entre adultos com idades entre 25 e 34 anos e entre pessoas com mais de 65 anos.
A inclusão de frutas e hortaliças no cardápio habitual também teve um acréscimo nos últimos anos, crescendo 5% entre 2008 e 2017. Quando observado o consumo recomendado, e cinco ou mais porções por dia em cinco ou mais dias da semana, houve aumento de mais de 20% entre os adultos de 18 a 24 anos e 35 a 44 anos.
De acordo com a diretora do Departamento de Vigilância de Doenças Crônicas e Agravos não Transmissíveis e Promoção da Saúde (DANTPS), do Ministério da Saúde, Fátima Marinho, hoje há uma tendência de estabilidade nos índices de obesidade e sobrepeso na população brasileira.
“Ainda assim, não podemos deixar de continuar vigilantes. A obesidade e o sobrepeso são portas de entrada para doenças crônicas, como hipertensão e diabetes, que prejudicam a saúde da população e que poderiam ser evitadas”, destaca Marinho.
A Vigitel é realizada com maiores de 18 anos em 26 capitais e nos Distrito Federal. Foram entrevistadas 53 mil pessoas entre fevereiro e dezembro de 2017.

DESTAQUES DOS EDITORES