Ensino

Em Curitiba, escolas municipais voltam às aulas em 18 de fevereiro

Escola em Curitiba
Escola em Curitiba (Foto: Divulgação/SMCS/Daniel Castellano)

Escolas e Centros Municipais de Educação Infantil (CMEIs) da rede municipal de ensino começam a receber adequações e melhorias antes do retorno das crianças e estudantes no início do ano letivo, em 18 de fevereiro.

Este ano, devido à pandemia do novo coronavírus, a volta às aulas terá as opções híbrida e remota, com parte dos estudantes na escola e parte assistindo às videoaulas pela TV Escola Curitiba. A escolha do modelo caberá as famílias.

Dezenove escolas e quarenta CMEIs estão na lista e todas as dez regionais serão contempladas até a volta dos estudantes.

A coordenadora de Obras da Educação, Flávia Gomes, explica que serão feitas, principalmente nas escolas, intervenções em banheiros, pintura, rede elétrica, telhados, refeitórios e portas. "São diversas melhorias previstas, conforme a necessidade de cada local", explica a arquiteta.

Entre as principais adequações que serão feitas estão as escolas CAIC Bairro, Novo (Bairro Novo), Adriano Robine (Portão), Maria Augusta Jouve (Boqueirão) e Itacelina Bittencourt (Portão), além do CMEI Lala Schneider (regional Bairro Novo).

Quadras cobertas e revitalizações
Desde 2017, pelo Programa Escola Bem-Cuidada, a Prefeitura de Curitiba investiu cerca de R$ 48 milhões em infraestrutura das unidades. O montante inclui manutenção predial, novas obras e melhorias, além de equipamentos.

Entre os destaques estão as quadras cobertas. Em 2020, depois de uma década de espera, as comunidades escolares de quatro unidades ganharam quadras poliesportivas cobertas, nas escolas Sônia Kenski e Walter Hoerner (ambas em Santa Felicidade), Padre José de Anchieta (no Portão) e Theodoro de Bona e Cerro Azul (as duas na regional Boa Vista).

Fundo Rotativo
As unidades da rede receberam cerca de R$ 60 milhões de 2017 até 2020, pelo Programa Fundo Rotativo, que repassa recursos financeiros diretamente às unidades, para a manutenção do dia a dia e outras despesas relacionadas com as atividades educacionais.

O dinheiro do Fundo pode ser utilizado para a compra de materiais de limpeza, escritório e serviços rotineiros, como troca de vidros e pequenos reparos.