Publicidade
Ilustre

Embaixador Fausto Godoy visita exposição doada por ele ao MON

(Foto: Divulgação)

O embaixador Fausto Godoy, que doou uma coleção asiática com 3 mil peças raras ao Museu Oscar Niemeyer (MON), visitou nesta quinta-feira (14) a exposição “Ásia: a Terra, os Homens, os Deuses”, que apresenta um recorte da coleção.

“Seguramente, o MON é o único museu no Brasil a ter uma coleção como esta”, comentou Godoy. As peças foram reunidas por ele ao longo de sua carreira diplomática e doadas ao museu em 2017.

Com curadoria do próprio embaixador e de Teixeira Coelho, a exposição reúne 200 peças raras e de forte conteúdo simbólico, provenientes de mais de 10 países, como China, Japão, Índia, Paquistão, Butão, Irã, Afeganistão e Myanmar.

Há peças como as cerâmicas do Vale do Indo, que podem chegar a 7 mil anos (V-II milênio A.C.), gravuras japonesas e indianas, o espírito protetor de jade (guardião de túmulo), do período neolítico chinês; além dos ornamentos e outras peças da Ásia Central, entre elas várias do planalto tibetano, que revelam o valor singular desta coleção.

Durante a visita, ele destacou algumas peças expostas, como os quatro desenhos de Qi Baishi. “Ele é o (Cândido) Portinari da China, um dos maiores artistas daquele país, e desenvolveu uma técnica própria (tinta à base de água sem papel), que pode ser vista aqui”, comentou Godoy.

O embaixador também falou sobre a relevância de peças do mobiliário, como a cadeira original do Paquistão, de estilo greco-indiano. “Temos aqui uma herança cultural de Alexandre, o Grande”, explicou.

Godoy falou ainda sobre o significado do tapete de oração, Susani, da região do Uzbequistão, em destaque na mostra. “É uma maneira de orar onde estiver, mesmo longe da mesquita”, explicou. A peça, de seda, algodão e bordados, indica a direção da Meca.

Coleção asiática -
A chegada da coleção asiática ao acervo do MON o elevou ao patamar dos grandes museus internacionais. Em cartaz há um ano, a exposição “Ásia: a Terra, os Homens, os Deuses” já foi vista por mais de 270 mil pessoas e tem recebido inúmeras críticas positivas.
O conselheiro Cultural da Embaixada da República Popular da China, Shu Jianping, visitou a mostra recentemente e elogiou. “Foi uma grande surpresa para mim,”, disse o conselheiro. “O MON já era uma grande referência da arte e está ainda mais completo agora, com o acervo da coleção de arte asiática”, comentou.

Jianping destacou as peças de porcelana tricolor da Dinastia Tang, bem como algumas cerâmicas, presentes na mostra. “Estou impressionado, são peças valiosas e muito raras, dificilmente encontradas na América Latina”.

Ele elogiou também o esforço do MON em promover um investimento cultural e destacou a importância em permitir o acesso da população à arte. Jianping disse ainda que pretende contribuir para estreitar as relações culturais entre os dois países.

Segundo a diretora-presidente do MON, Juliana Vosnika, a chegada da coleção asiática ao acervo do MON é uma grande conquista. “Agora a coleção pertence a toda a população, que pode usufruir do conhecimento ali contido”, comentou.

Além de visitas monitoradas e oficinas, o MON atende o público com diversos programas especiais, como Arte Para Maiores, MON Para Todos, MON para Educadores e Permanência no MON. No ano passado, o público de instituições de ensino ultrapassou a marca dos 40 mil alunos. “Nossa ideia é, cada vez mais, desenvolver ações que sejam inclusivas, inovadoras e democráticas”, disse Juliana.


Sobre o MON
O Museu Oscar Niemeyer (MON) pertence ao governo do Estado do Paraná. A instituição abriga referenciais importantes da produção artística nacional e internacional nas áreas de artes visuais, arquitetura e design, além da mais significativa coleção asiática da América Latina. No total, o acervo conta com aproximadamente 7 mil peças, abrigadas num espaço superior a 35 mil metros quadrados de área construída, sendo 17 mil metros quadrados de área para exposições, o que torna o MON o maior museu de arte da América Latina.


Serviço:
Museu Oscar Niemeyer
Rua Marechal Hermes, 999
Curitiba- Paraná
museuoscarniemeyer.org.br
Visitação: terça a domingo, das 10h às 18h
R$20 e R$10 (meia-entrada)
Quartas gratuitas

DESTAQUES DOS EDITORES