Assine e navegue sem anúncios [+]

Enyo Correia é reeleito presidente da Federação Paulista de Basketball

Sem adversário, Enyo Correia foi reeleito por aclamação como presidente da Federação Paulista de Basketball para o quadriênio 2020-2024, nesta sexta-feira, em assembleia geral ordinária, realizada na sede da entidade, na região central de São Paulo.

Ao todo, 27 dos 48 clubes filiados à FPB participaram em primeira chamada da eleição. Paulistano, Araraquara, Rio Claro e Esperia foram alguns dos times que enviaram representantes. O pleito definiu ainda os novos membros do conselho fiscal.

A eleição aconteceu após um ação da chapa de oposição não ter obtido sucesso. Na quinta-feira, o juiz Rodolfo César Milano, da 43ª Vara Cível, indeferiu o pedido de liminar para suspensão do pleito.

Nesta sexta, o desembargador Natan Zelinschi de Arruda, do Tribunal de Justiça de São Paulo, fez o mesmo após os advogados de Marco Antonio Aga, que seria candidato, entrarem com um agravo de instrumento para tentar reverter o que havia sido decidido no dia anterior. O processo, que pede ainda a suspensão dos efeitos da alteração do estatuto, seguirá os transmites normais.

"Gostaria de agradecer aos clubes, a diretoria atual e a nova diretoria, que está compondo essa nova gestão a partir de 2020. Estaremos empenhados em continuar a desenvolver o basquetebol paulista, juntando forças com os clubes, diretoria, instituições para fazermos um basquetebol cada vez melhor", afirmou Enyo.

"Esse é o nosso comprometimento à frente da Federação. Muito obrigado e tenho certeza que estaremos prontos para corresponder a toda responsabilidade que estão nos dando. Esse quadriênio será muito importante", completou.

A chapa da oposição não conseguiu o apoio necessário (três cartas de equipes profissionais, três das categorias de base e três de delegados regionais) para se inscrever no pleito. Todos os seis delegados enviaram o documento de apoio para Enyo.

Há uma investigação em andamento conduzida pelo 65º Distrito Policial de São Paulo na qual Enyo foi indiciado sob acusação do crime de estelionato. O Ministério Público fez alguns pedidos e o processo está em andamento.

Segundo investigação, Enyo abriu a SPM Comércio e Promoção de Eventos Esportivos, com sede em Caçapava, interior de São Paulo, para emitir os boletos em nome da FPB. Os códigos de barra direcionaram os pagamentos dos clubes à conta bancária em nome de sua empresa. O presidente fez uso de sua empresa de dezembro de 2017 até junho de 2018.

DESTAQUES DOS EDITORES

Utilizamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições. OK