Publicidade
Em São José dos Pinhais

Família Brittes acompanha audiências do caso Daniel Corrêa Freitas

(Foto: Franklin de Freitas)

A audiência de instrução do caso do jogador Daniel Corrêa Freitas, foi iniciada nesta tarde de segunda-feira, 18, no Fórum da Justiça Estadual de São José dos Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba. De acordo com o advogado de defesa da família Brittes, Claudio Dalledone, os acusados irão acompanhar as audiências. Eles chegaram no começo da tarde ao Fórum.

Ao todo 48 testemuhas, da acusação e da defesa, serão ouvidas pela juíza Luciani Martins de Paula, titular da 1ª Vara Criminal, Júri e Execuções Penais de São José dos Pinhais, onde o crime foi registrado.  Devido a grande quantidade de testemunhas e de réus, a tendência é que as oitivas sejam estendidas até a quarta-feira (20).

Serão ouvidas as testemunhas de acusação, de defesa e os réus. A fase de instrução é onde a Justiça decide se os réus serão ou não submetidos a Júri Popular.

Edison Brittes Junior; a esposa e a filha, Cristiana e Allana Brittes; David Willian Silva; Eduardo Henrique Ribeiro da Silva; Ygor King e Evellyn Brisola Perusso são os réus no caso.

O corpo de Daniel foi encontrado na zona rural de São José dos Pinhais na manhã de 27 de outubro de 2018. Ele apresentava degola parcial e estava com o pênis decepado. As investigações apontaram que o jovem foi assassinado após uma confusão na casa da família Brittes.

O jogador havia participado da festa de aniversário de 18 anos de Allana, que ocorreu em uma casa noturna de Curitiba e na sequência, seguiu com a família e amigos da jovem para continuar a festinha na casa da garota.

Presos

Edison Brittes está preso na Casa de Custódia de São José dos Pinhais. Cristiana e Allana Brittes estão presas na Penitenciária Feminina de Piraquara.

Mãe

A mãe de Daniel, Eliane Corrêa, também estará presente às audiências, de acordo com o advogado da família de Daniel, Nilton Ribeiro. Ao chegar ao Fórum de São José dos Pinhais, Ribeiro foi questionado o motivo pelo qual a mãe de Daneil, que mora em Minas Gerais, iria comparecer. Ele justificou a presença dela como essencial para que o juízo tivesse consciência do mal feito pela família Brittes. 

Sobre a possibilidade de que Cristiana e Alana respondessem o julgamento em liberdade, Ribeiro declarou ser fundamental para o andamento do processo a prisão cautelar delas. "Elas ameaçaram testemunhas, como ficou claro no vídeo exibido delas almoçando no shopping no dia seguinte ao assassinato de Daniel", disse.

Publicidade

Plantão de Notícias

Mais notícias

DESTAQUES DOS EDITORES