Publicidade
Em São José dos Pinhais

Família Brittes acompanha audiências do caso Daniel Corrêa Freitas

(Foto: Franklin de Freitas)

A audiência de instrução do caso do jogador Daniel Corrêa Freitas, foi iniciada nesta tarde de segunda-feira, 18, no Fórum da Justiça Estadual de São José dos Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba. De acordo com o advogado de defesa da família Brittes, Claudio Dalledone, os acusados irão acompanhar as audiências. Eles chegaram no começo da tarde ao Fórum.

Ao todo 48 testemuhas, da acusação e da defesa, serão ouvidas pela juíza Luciani Martins de Paula, titular da 1ª Vara Criminal, Júri e Execuções Penais de São José dos Pinhais, onde o crime foi registrado.  Devido a grande quantidade de testemunhas e de réus, a tendência é que as oitivas sejam estendidas até a quarta-feira (20).

Serão ouvidas as testemunhas de acusação, de defesa e os réus. A fase de instrução é onde a Justiça decide se os réus serão ou não submetidos a Júri Popular.

Edison Brittes Junior; a esposa e a filha, Cristiana e Allana Brittes; David Willian Silva; Eduardo Henrique Ribeiro da Silva; Ygor King e Evellyn Brisola Perusso são os réus no caso.

O corpo de Daniel foi encontrado na zona rural de São José dos Pinhais na manhã de 27 de outubro de 2018. Ele apresentava degola parcial e estava com o pênis decepado. As investigações apontaram que o jovem foi assassinado após uma confusão na casa da família Brittes.

O jogador havia participado da festa de aniversário de 18 anos de Allana, que ocorreu em uma casa noturna de Curitiba e na sequência, seguiu com a família e amigos da jovem para continuar a festinha na casa da garota.

Presos

Edison Brittes está preso na Casa de Custódia de São José dos Pinhais. Cristiana e Allana Brittes estão presas na Penitenciária Feminina de Piraquara.

Mãe

A mãe de Daniel, Eliane Corrêa, também estará presente às audiências, de acordo com o advogado da família de Daniel, Nilton Ribeiro. Ao chegar ao Fórum de São José dos Pinhais, Ribeiro foi questionado o motivo pelo qual a mãe de Daneil, que mora em Minas Gerais, iria comparecer. Ele justificou a presença dela como essencial para que o juízo tivesse consciência do mal feito pela família Brittes. 

Sobre a possibilidade de que Cristiana e Alana respondessem o julgamento em liberdade, Ribeiro declarou ser fundamental para o andamento do processo a prisão cautelar delas. "Elas ameaçaram testemunhas, como ficou claro no vídeo exibido delas almoçando no shopping no dia seguinte ao assassinato de Daniel", disse.

DESTAQUES DOS EDITORES