Publicidade
Campeonato Brasileiro

Ferrolho paranista segura o Grêmio na Vila Capanema: 0 a 0

Ferrolho paranista segura o Grêmio na Vila Capanema: 0 a 0
(Foto: Franklin de Freitas)

O Paraná conquistou seu segundo ponto no Campeonato Brasileiro na tarde deste domingo (20 de maio). Jogando na Vila Capanema contra o Grêmio, os comandados de Rogério Micale marcaram muito e jogaram pouco, criando um verdadeiro ferrolho. Foi o suficiente para segurar o zero no placar – foi o primeiro jogo em que o time paranaense não sofreu gols na competição.

Apesar de segurar um dos principais times do Brasil (e atual campeão da Libertadores), contudo, o time paranaense permanece na lanterna da competição, três pontos atrás do Atlético-PR, primeiro time fora da zona de rebaixamento e que ainda atua na rodada. Já os gaúchos caem para o sétimo lugar com nove pontos, quatro atrás do líder Atlético-MG.

Na próxima rodada, no domingo (27 de maio), o Paraná faz às 11 horas o clássico contra o Atlético-PR, novamente jogando diante de sua torcida. O Grêmio entra em campo no mesmo dia, às 19 horas, para medir forças com o Ceará no Estádio Castelão.

TIMES ALTERADOS

Rogério Micale promoveu sete mudanças na escalação do Paraná, mudando quase todo o setor defensivo e o meio de campo. As novidades foram: o goleiro Thiago Rodrigues, o lateral-direito Junior, os zagueiros Neris e Cleber Reis (que não havia enfrentado o Santos por questões contratuais), o lateral-esquerdo Mansur (que retornava de suspensão) e os volantes Jhonny Lucas e Leandro Vilela. Com isso, o time abandonou o 4-2-3-1 das últimas rodadas e atuou no 4-3-2-1, povoando o meio de campo e reforçando a marcação.

Já o Grêmio teve de lidar com uma série de desfalques. A principal delas o zagueiro Geromel, liberado por conta da convocação para a seleção brasileira. Arthur, Everton e Alisson, com lesões musculares, além de Michel e Jael, também ficaram de fora. A grande novidade foi Maicosuel,
jogador que despontou para o futebol brasileiro atuando pelo próprio Paraná.

PRIMEIRO TEMPO


Embora fosse o Paraná quem jogasse em casa, quem tomou a iniciativa no confronto foi o Grêmio. Na etapa inicial, os gaúchos ficaram 74% do tempo com a bola em seus pés, enquanto os mandantes se fechavam em seu próprio campo e pressionavam muito os volantes Jaílson e Maicon, responsáveis por iniciar as jogadas do time de Renato Portaluppi.

Em suma, então, o que se viu foi um ‘repeteco’ do Gre-Nal do último final de semana, na Arena do Grêmio, que terminou em zero a zero. Pelo lado paranista, a dupla Mansur e Silvinho era responsável por fazer o time sair do sufoco e puxar os contra-ataques, mas foram poucas as ocasiões em que isso aconteceu. Ao todo, foram apenas cinco finalizações (duas do Paraná e três do Grêmio), nenhuma no alvo.

SEGUNDO TEMPO

Na etapa final, basicamente repetiu-se o roteiro dos 45 minutos iniciais, num jogo de ataque contra a defesa. A grande diferença é que o Paraná já não conseguia contra-atacar, passando ainda mais tempo pressionado em seu próprio campo.

Entre os 24 e 28 minutos, as primeiras mudanças nos dois times, que ficaram mais ofensivos. No Grêmio, entraram Cícero e Pepê nos lugares de Jailson e Maicosuel (aos 33, ainda seria vez de Lima substituir Léo Moura). Já no Paraná, Léo Itaperuna ganhou a posição de Leandro Vilela, deixando o time mais ofensivo. Aos 33 e aos 40, Alex Santana e Alemão ainda entraram nos lugares de Caio Henrique e Junior.

Com a defesa gaúcha mais exposta, os donos da casa voltaram a encontrar espaços para jogar. E tiveram a primeira (e única) chance de gol aos 30 minutos, em chute de Caio Henrique que foi para fora. Os gaúchos, por sua vez, criaram duas chances, aos 35 e aos 41, mas o zero persistiu no placar.

NÚMEROS DO JOGO

Ao final, o Grêmio havia somado 71% da posse de bola, com um total de 651 passes certos e oito finalizações (duas no alvo). Já o Paraná trocou apenas 192 passes (e errou 40, dois a mais que o adversário) e chutou seis vezes contra a meta de Marcelo Grohe, mas nenhuma delas foi no alvo.

 

Paraná 0 x 0 Grêmio

Paraná: Thiago Rodrigues; Júnior (Alemão), Cleber Reis, Neris e Mansur; Leandro Vilela (Léo Itaperuna), Torito e Jhonny Lucas; Caio Henrique (Alex Santana) e Silvinho; Carlos. Técnico: Rogério Micale

Grêmio: Marcelo Grohe; Léo Moura (Lima), Bressan, Kannemann e Cortez; Jailson (Cícero), Maicon; Ramiro, Luan e Maicosuel (Pepê); André. Técnico: Renato Portaluppi
Cartões amarelos: Carlos, Jhonny Lucas (P); Pepê (G)
Árbitro: Rodrigo Batista Raposo (DF)
Pùblico: 8.639 pagantes
Renda: R$ 252.240,00

Local: Estádio Durival Britto, em Curitiba (PR), domingo (20/05) às 16 horas

PRINCIPAIS LANCES

Primeiro tempo


6 – Paraná rouba a bola na defesa. Leandro Vilela aciona Silvinho na esquerda. Ele corta para o meio e arrisca o chute da intermediária, por cima do gol.

12 – Cortez avança pela esquerda e surpreende com cruzamento fechado. A bola surpreende e passa raspando a trave.

16 – Boa jogada de Carlos. Mansur recebe na esquerda e cruza na medida para Silvinho, que chuta de primeira. Cortez bloqueia a finalização.

38 – Cobrança de falta de Ramiro viaja até a área paranista. André sobe mais que a defesa e cabeceia por cima de meta.

Segundo tempo

5 – Ramiro lança da entrada da área para André, que aproveita o escorregão de Thiago Rodrigues e completa para o gol. A arbitragem, contudo, já assinalava impedimento.

9 – Silvinho rouba a bola na lateral, avança e chuta no canto, de fora da área. Marcelo Grohe defende.

17 – Ramiro levanta a bola na área. Kanneman e Thiago Rodrigues batem cabeça e os dois vão ao chão. Jogo é paralisado para atendimento médico.

30 – Silvinho puxa o contra-ataque pela esquerda e encontra Caio Henrique na área. O meia ajeita e bate forte, por cima do gol.


35 - Bola cruzada na área por Ramiro. Lima aparece livre na área e cabeceia. Thiago Rodrigues espalma.

41 – Mais um cruzamento de Ramiro. Cícero entra livre na área e finaliza
ao lado do gol, com muito perigo.

46 – Silvinho puxa o contra-ataque com três paranistas contra dois gremistas. Mas demora para tocar a bola e desperdiça a oportunidade.

51 - Lima chuta forte de fora da área e obriga Thiago Rodrigues a fazer grande defesa.

DESTAQUES DOS EDITORES