Publicidade
Exterior

Flórida não acaba recontagem de votos no prazo

WASHINGTON, EUA (FOLHAPRESS) - A Flórida encerrou a primeira fase de seu tumultuado processo de recontagem de votos, iniciado no último fim de semana, às 15h (18h do Brasil) desta quinta (15). Os números oficiais ainda não foram divulgados, o que só deve acontecer na próxima semana.

Os resultados das corridas para o Senado e para o governo do estado tiveram que ser submetidos a um novo escrutínio após a vitória de candidatos republicanos por menos 0,5 ponto percentual nas eleições de 6 de novembro.

O condado de Palm Beach, reduto democrata que está entre as três maiores jurisdições eleitorais do estado, foi o único entre os 67 do estado que não conseguiu encerrar a recontagem dos votos no prazo. Por causa disso, serão levados em conta os resultados da noite de eleição no local.

Máquinas antiquadas são uma das razões que levaram ao atraso ""elas não permitem que o resultados de duas ou mais disputas sejam contados simultaneamente e apresentaram problemas.

A batalha no estado-pêndulo, que não tem preferência partidária bem definida, levou democratas e republicanos a entrarem com mais de dez ações na Justiça na última semana solicitando desde a ampliação do prazo para a recontagem até a apreensão de equipamentos de votação.

Durante a manhã, o juiz federal Mark Walker, da cidade de Tallahassee, determinou que em torno de 5.000 eleitores que tiveram os votos rejeitados por causa de problemas nas assinaturas terão dois dias para resolver a questão para que suas escolhas sejam contadas.

O prazo original para a resolução dos erros era 8 de novembro, dois dias após as eleições gerais. A validação das cédulas era demanda do senador democrata Bill Nelson, adversário do governador republicano Rick Scott na corrida para o Senado. Cada voto conta, já que o congressista ficou em segundo lugar por pouco mais de 12,5 mil votos, diferença de 0,15 ponto percentual.

Walker também rejeitou durante o início do dia um pedido para que o prazo de recontagem fosse estendido e afirmou que a Flórida era motivo de risada no mundo tudo por não ter conseguido antecipar problemas nas eleições.

"Nós temos sido motivo de risada no mundo, eleição após eleição, e escolhemos não consertar isso", afirmou.

Segundo o juiz, legisladores e funcionários eleitorais deveriam ter garantido que teriam equipamentos suficientes para dar conta da recontagem.

Caso a diferença após a nova contagem seja igual ou inferior a 0,25 ponto percentual, checagem manual será feita.

Espera-se que isso ocorra na corrida para o Senado. Mas, independente dos resultados, os republicanos continuam com a maioria na Casa.

DESTAQUES DOS EDITORES