Publicidade
Gasolina

Gasto de combustíveis na AL é suficiente para dar 2 voltas no planeta

Os combustíveis estão no topo da lista dos gastos de outubro dos deputados estaduais com a verba de ressarcimento. De acordo com as informações do Portal da Transparência, os parlamentares gastaram R$ 180.385,87 para encher o tanque dos carros no mês passado. O valor equivale a mais de 72 mil litros de gasolina – quantidade suficiente para completar mais de 1,8 mil vezes o tanque de um veículo pequeno (tanque de 40 litros). Se considerarmos que um carro percorre em média 10 quilômetros por litro de gasolina, juntos os deputados consumiram em apenas um mês combustível suficiente para dar quase duas voltas na Terra (39,8 mil quilômetros cada volta).
O valor na realidade é ainda maior, uma vez que, até o fechamento desta edição, o Portal da Transparência ainda não tinha sido alimentado com as informações relativas aos gastos dos deputados Luiz Eduardo Cheida (PMDB) e Artagão Júnior (PMDB) com a verba de ressarcimento.
Além do salário mensal de R$ 12,5 mil, cada um dos 54 deputados tem direito a R$ 39,5 mil para contratação de assessores e outros R$ 15 mil em verba de ressarcimento (combustível, serviços gráficos, divulgação da atividade parlamentar, material de informática, assinaturas de jornais, correio, passagens aéreas e outros).
Curiosamente, o campeão de gastos com combustível no mês de outubro, com R$ 4499,84, é Luiz Carlos Martins (PDT), que tem domicílio eleitoral em Curitiba. Outros dois parlamentares com base eleitoral na Capital, também aparecem no topo da lista dos que mais vezes completaram o tanque dos carros: Alexandre Curi (PMDB) com R$ 4.489,58 e Neivo Beraldin (PDT) com R$ 4428,21. A deputada Cida Borghetti não declarou qualquer gasto desta natureza.
Além do montante consumido em combustível, os parlamentares ainda gastaram outros R$ 31.035,85 com passagens e taxas de embarque.
Mesa farta — A segunda posição dos itens que consumiram as maiores fatias da verba de ressarcimento revela que os deputados não economizam quando o assunto é alimentação. Em outubro, os parlamentares declararam gastos de R$ 116.836,55 com serviços de fornecimento de alimentação. O valor equivale a 539 cestas básicas de Curitiba (R$ 216,59), segundo levantamento divulgado no início do mês pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese).
Neste quesito, os parlamentares peemedebistas Antonio Anibelli (R$ 6.461,98) e Nereu Moura (R$ 5.614,65) lideram o ranking de gastos com a verba de ressarcimento.

DESTAQUES DOS EDITORES