estiagem severa

Governo decreta emergência hídrica na RMC, mas há indícios de que ciclo mais seco se aproxima do fim

(Foto: Franklin de Freitas/Arquivo BP)

Com a continuidade da estiagem no Paraná e após o abril mais seco da história em várias cidades paranaenses, o Governo do Estado decretou, nesta terça-feira (4), situação de emergência hídrica na Região Metropolitana de Curitiba e no Sudoeste do Estado. O decreto tem validade de 90 dias. Apesar disso, e da queda nas reservas nas barragens que servem a Grande Curitiba, o cenário não chega a ser assustador. O diretor de Meio-Ambiente e Ação Social da Sanepar, Julio Gonchorosky, afirmou ontem que o decreto de emergência hídrica editado pelo Governo vem sendo reeditado “muito em função da crise no abastecimento público”.

Ainda segundo o dirigente, a estiagem meteorológica apresenta indícios de que o ciclo mais seco está se encerrando, mas ainda levará um tempo para a estabilização do serviço. “A maior preocupação é que haja tempo para recuperação do abastecimento. Mesmo com a melhoria das condições climáticas, os reservatórios e o lençol freático demoram mais tempo para responder”, disse. Mesmo assim, a recomendação é que a população mantenha o consumo consciente para que o rodízio atual não fique mais rigoroso.