Rodovias

Governo federal insiste em pedágio com cobrança de outorga; deputados defendem menor tarifa

Pedágio: modelo proposto prevê desconto fixado entre 15% a 17% nas tarifas, a depender do lote.
Pedágio: modelo proposto prevê desconto fixado entre 15% a 17% nas tarifas, a depender do lote. (Foto: Franklin de Freitas)

O Ministério dos Transportes entregou à bancada federal do Paraná a proposta de modelo das novas concessões do pedágio no Estado, que devem ocorrer até o final do ano. No documento entregue aos deputados, o primeiro critério da licitação é o desconto nas tarifas. Esse desconto está fixado entre 15% a 17%, a depender do lote.

Caso as empresas empatem, vence quem paga a maior taxa de outorga. Pelo novo estudo, metade desse valor de outorga será aplicado em obras no trecho ou na redução da tarifa e os outros 50 % vão para os cofres do governo federal.

O estudo do Ministério da Infraestrutura prevê licitar 3.327 quilômetros de rodovias estaduais e federais em seis lotes. Serão 42 praças de pedágio, 15 praças a mais do que atualmente. A previsão é de R$ 42 bilhões em investimentos e que em 10 anos sejam duplicados 1.861 quilômetros de vias.

Leia mais no blog Política em Debate