Hemerson Maria pede demissão e aumenta crise no Figueirense

Após dias de tensão e incerteza, o técnico Hemerson Maria deixou o comando do Figueirense. Insatisfeito com a gestão do presidente Cláudio Honigman, ele se reuniu com o elenco na tarde desta segunda-feira, no estádio Orlando Scarpelli, e comunicou a decisão, que intensifica a crise vivida pelo clube.

O time catarinense vive um momento financeiro muito delicado, com dívidas salariais que atingem desde os atletas, inclusive das categorias de base, até funcionários de outros setores. Na última semana, elenco não treinou por dois dias para protestar contra os atrasos.

Os jogadores foram a campo no último sábado para enfrentar o Criciúma, em partida que terminou empatada por 1 a 1, mesmo depois de o presidente Cláudio Honingam não ter cumprido a promessa de quitar as dívidas até sexta-feira.

Foi Hemerson Maria quem convenceu os atletas a jogarem. Após o jogo, o treinador fez um desabafo emocionado e revelou que existe a possibilidade de o time não ir a campo nesta terça-feira para enfrentar o Vitória, em jogo válido pela 13ª rodada da Série B, no Orlando Scarpelli.

No comando do Figueirense desde novembro de 2018, Hemerson teve 14 vitórias, 14 empates e seis derrotas em 34 partidas. Ele deixa o time na décima colocação da segunda divisão nacional, com 18 pontos.