Publicidade

Homem que manteve o filho e a família reféns por 30 horas ganha a liberdade

Condenado a mais de seis anos de prisão em regime semiaberto por manter o filho e a família reféns em Joaquim Távora, norte do Paraná, em janeiro deste ano, o motoboy de 29 anos deixou a cadeia na tarde de segunda-feira (12) e voltou para Curitiba, onde cumprirá prisão domiciliar.

O homem não era reincidente do crime que cometeu e deveria cumprir a pena na colônia penal em Piraquara, na Região Metropolitana de Curitiba, mas o local não conta com vagas disponíveis.

A juíza da Comarca de Joaquim Távora, Fabiana Ferrarin, explicou que no município existem apenas delegacias destinada a presos em regime fechado. Ela, então, solicitou uma vaga pela central. Enquanto ele aguarda a vaga, ele cumpre regime em prisão domiciliar, e inclusive está autorizado a trabalhar, explicou a juíza.

Ferrarin também explica que o motoboy terá de prestar serviços à comunidade e deverá trabalhar durante o dia, voltando para casa até as 21h e permanecendo nela nos domingos e feriados.Ele também deverá se apresentar periodicamente ao cartório da Vara de Execuções Penais e Medidas Alternativas, que acompanha o preso.

O Caso

Em janeiro, o homem manteve a ex-mulher, a mãe dela e a sobrinha reféns por cerca de 30 horas. Após longa negociação, todos foram liberados e o suspeito, preso.

Segundo a polícia, o casa está separado há mais de três anos. O motoboy chegou a afirmar que sequestrou a ex-mulher porque ela o impediu de ver o filho após o fim do relacionamento.

Mesmo na prisão domiciliar, o rapaz poderá ver o filho, após um acordo feito entre o Ministério Público, a mãe da criança e ele, homologado pela comarca de Joaquim Távora.

Publicidade

Plantão de Notícias

Mais notícias

DESTAQUES DOS EDITORES