Publicidade
Política em Debate

Homofobia

A Defensoria Pública do Estado de São Paulo entrou com uma representação no último dia 4, pedindo que a Secretaria da Justiça e da Defesa da Cidadania do Estado abra um processo contra o apresentador Carlos Massa, o ‘Ratinho’ por declarações consideradas homofóbicas. A informação é da coluna de Monica Bergamo, da Folha de São Paulo.

Cangaceiro

Na semana passada, o apresentador de TV e pai do pré-candidato ao governo do Paraná, deputado estadual Ratinho Júnior (PSD), publico vídeo nas redes sociais comentando as novelas da Rede Globo. A Globo colocou veado até em filme de cangaceiro, naquele tempo não tinha veado, não. Vocês acham que tinham veado naquele tempo? É muito veado. É veado 6 horas da tarde, 8 da noite, 9 da noite, veado 10 da noite. É muito veado. Eu não sei o que tá acontecendo, não tem tanto veado assim. Ou tem? Será?, comentou ele.

Brincadeira
Segundo a colunista da Folha de SP, a Defensoria considerou que o termo foi utilizado pejorativamente. Por isso, o órgão pediu que a secretaria aplique multa por discriminação homofóbica. O apresentador tentou voltar atrás, afirmando que não quis ofender nenhum gay, e que tudo não passaria de uma brincadeira. Para o defensor público Rodrigo Leal da Silva, a retratação não exclui o caráter homofóbico da fala.

Cardápio
O ex-prefeito Gustavo Fruet (PDT) almoçou ontem, em Curitiba, com o deputado federal e presidente do PTB do Paraná, Alex Canziani. Segundo o colunista Reinaldo Bessa, da Gazeta do Povo, testemunhas do encontro relataram que Fruet teria levantado a possibilidade de deixar o PDT do ex-senador e pré-candidato ao governo, Osmar Dias, para se filiar ao PTB e concorrer a uma das vagas do Paraná no Senado nas eleições de outubro.

Censura
Integrante da força-tarefa da operação Lava Jato em Curitiba, o procurador Carlos Fernando dos Santos Lima, reagiu ontem à determinação da Corregedoria do Ministério Público Federal, que recomendou que ele deixasse de se manifestar publicamente nas redes sociais sobre questões políticas. Em um texto no facebook, Santos Lima acusou o órgão de tentar censurá-lo e reproduziuuma série de normas legais que, segundo ele, lhe garantem o direito de se manifestar.

Campanha

A recomendação também pretende impor censura às minhas manifestações, o que ofende ao direito de livre manifestação do pensamento previsto na Constituição, afirmou o procurador. Santos Lima lembra ainda que cada vez mais se vê campanhas públicas de acusados para denegrir investigações e acusações. E que não caberia a ele qualquer recuo.

Seguidores
A página da Assembleia Legislativa no Facebook teve nos últimos dois anos um crescimento de 140% no número de seguidores e no acompanhamento das publicações realizadas. No Instagram, o crescimento de seguidores foi de 40% em 2017. Os dados são da Diretoria de Comunicação da Casa.

Audiência
Os dados apresentados nas transmissões ao vivo das sessões plenárias e da Comissão de Constituição e Justiça também impressionam. O alcance médio atinge quinze mil pessoas por transmissão.

DESTAQUES DOS EDITORES