Publicidade
Política em debate

Incisivo

(Foto: Dálie Felberg/Alep)

O líder do governo Ratinho Jr na Assembleia Legislativa, deputado Hussein Bakri (PSD), não conseguiu disfarçar, ontem, a irritação com o comportamento do deputado Soldado Fruet (PROS), que desde o início de seu primeiro mandato, tem defendido de forma incisiva as reivindicações dos servidores públicos. Ontem, em meio às negociações com representantes dos sindicatos dos professores sobre a carga horária dos pedagogos, Fruet voltou a cobrar, da tribuna do plenário da Assembleia uma resposta rápida do Executivo.

Arroubos
Bakri disse que já tinha repassado informações aos deputados sobre as negociações com a categoria. “Mas o deputado é dado a arroubos na tribuna. Tem uma necessidade extrema de falar com a turma dele. Eu respeito e é assim que eu vou tratar”, disse o líder governista. Fontes da Assembleia apontam que o estranhamento entre Fruet e Bakri é motivado pelo fato de que o primeiro tem base eleitoral na região de Foz do Iguaçu, onde o líder do governo também foi bem votado.

Laranjas
O deputado federal Rubens Bueno (PPS) afirmou ontem que o fatiamento do pacote anticrime do ministro Sérgio Moro, entregue ao Congresso, não pode servir de desculpa para que o Legislativo, mais uma vez, deixe de aprovar a criminalização do caixa 2. O governo resolveu separar o tema num projeto específico temendo que a resistência desse item pudesse dificultar a aprovação do pacote como um todo. “Espero que essa separação não tenha sido feita por influência das denúncias que envolvem o financiamento de candidaturas ‘laranjas’ dentro do PSL, partido do presidente Bolsonaro”, disse Bueno.

Diárias
A 2ª Promotoria de Justiça de Matinhos (Litoral) entrou ontem na Justiça com ação civil pública por ato de improbidade administrativa contra o presidente da Câmara Municipal da cidade, Gerson da Silva Junior. O Ministério Público acusa o vereador de pagamento excessivo de diárias em 2017 e 2018, contrariando recomendação administrativa do órgão.

Bolso
De acordo com o MP, apenas em 2018, foram gastos quase R$ 435 mil em diárias – valor muito além do dispendido por câmaras de municípios de porte aproximado, como Guaíra e Assis Chateaubriand. Além disso, afirma o documento, “vereadores e servidores da Câmara Municipal de Matinhos não fazem a prestação de contas quando do retorno das viagens, embolsando integralmente o montante das diárias”, um dos motivos que explicam “os gastos exorbitantes do Poder Legislativo com diárias”. O MP pediu que seja decretado o bloqueio de bens do parlamentar em R$ 400 mil.

Bloqueio
Em Cerro Azul (região Metropolitana de Curitiba), o ex-prefeito da gestão, Claudinei Braz, teve bens bloqueados pela Justiça até o limite de R$ 251,8 mil. A liminar atende ação do MP que acusa o prefeito e outras três pessoas de participação em uma licitação irregular que culminou no prejuízo de quase R$ 70 mil ao município.

Simulação
A licitação realizada em 2013 envolvia a contratação de serviço de manutenção de equipamentos de telecomunicação da rede de transmissão de canais de tevê mantida nas escolas da rede municipal. A Promotoria apurou que o procedimento licitatório foi simulado. A empresa “vencedora” foi contratada e paga, mas não chegou a prestar o serviço. Mais: o contrato chegou a ser prorrogado e novos pagamentos efetuados. Em 2015 foram feitos mais quatro pagamentos. No total, foram pagos à empresa R$ 67,1 mil.

DESTAQUES DOS EDITORES