Publicidade

Israel: Parlamento deve eleger novo premiê ou haverá 3ª eleição

O presidente israelense, Reuven Rivlin, disse ontem que o Parlamento deve eleger um novo primeiro-ministro ou Israel terá uma nova eleição - a terceira em menos de um ano. "A partir de hoje (ontem), e pelos próximos 21 dias, a decisão de formar um novo governo está nas mãos dos deputados", disse Rivlin. "As divisões políticas têm de terminar."

É a primeira vez na história de Israel que um presidente - que tem a prerrogativa de indicar quem tem direito de negociar uma coalizão - pede ao Parlamento para formar um governo. Os deputados têm até o dia 11 para costurar um acordo. Nas duas últimas eleições - abril e setembro -, ninguém obteve maioria para governar sozinho (61 deputados de um total de 120). Se o Parlamento não resolver a questão, novas eleições serão marcadas para o início de 2020.

Netanyahu lidera um bloco de direita e religioso que elegeu 55 deputados. Seu rival, o general Benny Gantz, está à frente de um grupo de centro-esquerda que tem 57 deputados, incluindo os partidos árabes. Quem impede a formação de uma coalizão é o ex-chanceler Avigdor Lieberman, líder do partido Yisrael Beiteinu, que tem 8 deputados.

Conservador de caráter secular, ele não aceita uma aliança com os religiosos, de Netanyahu, ou com os árabes, de Gantz. Uma outra possibilidade seria uma união entre Netanyahu e Gantz, em um governo compartilhado. O problema, nesse caso, são as divergências entre os dois - principalmente quem ocuparia o cargo de premiê primeiro - e a promessa de campanha do general de não fechar acordo com Bibi.

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Publicidade

Plantão de Notícias

Mais notícias

DESTAQUES DOS EDITORES