Publicidade

Julia Konrad diz que acompanhou psicografia para vier médium em 'Kardec'

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A atriz Julia Konrad, 28, acaba de se despedir de Raimunda, personagem de "O Sétimo Guardião" (Globo), e de lançar o longa "Kardec", em cartaz. Enquanto planeja viagens e uns dias de folga, ela conta como se preparou para viver uma médium nos cinemas.

O longa já foi visto por 337 mil pessoas até a última terça-feira (21). Faturou mais de R$ 4, 4 milhões em bilheteria e está em quarto lugar -atrás apenas de "Vingadores", "Pokémon" e "Cemitério Maldito", segundo o site Exibidor.   

No filme, Julia viveu uma das médiuns que ajudou Allan Kardec (Leonardo Medeiros) a escrever "O Livro dos Espíritos". A personagem Ruth-Celine psicografava e também falava por intermédio dos espíritos. 

"Fiz um pequeno laboratório em um centro espírita em São Paulo, que o Wagner [de Assis, diretor do filme]. Eu fui lá em um dia em que estava acontecendo uma sessão de psicografia e acompanhei de perto o trabalho das médiuns. Foi muito interessante! Me ajudou bastante a compor a personagem e a pegar os trejeitos físicos", conta a atriz. 

Julia conta que fez um estudo profundo sobre o processo de psicografia e incorporação para entender o que realmente ocorre com o corpo dos médiuns. A atriz diz que não se considera espírita.

"Acredito em algumas coisas da doutrina, como por exemplo vibração e energia e é esse o meu contato com a religião espírita", conta a atriz, que aprendeu mais sobre Kardec ao fazer o longa. "Não sabia, por exemplo, muitos detalhes sobre a vida dele em si, os problemas que ele teve que superar e as batalhas que ele teve que vencer."

Em clima de férias após intensas gravações de "O Sétimo Guardião" (Globo), Julia diz que não se abala com as críticas que a novela de Agnaldo Silva recebeu. "Acredito que toda obra de ficção está suscetível a receber críticas, é natural. Senti que o público acompanhou de perto a novela e recebi um feedback bacana. Essa troca com o público é muito enriquecedora", conta a atriz, que pretende viajar e curtir os primeiros dias de férias.

Nas redes sociais, ela compartilhou seus momentos de Virada Cultural, evento que aconteceu nas ruas de São Paulo na semana passada, novidades sobre seus trabalhos e também pontua suas opiniões políticas.

A atriz foi uma das artistas que convocou todos a participarem das manifestações contra os cortes da educação. Julia afirma que é preciso saber exatamente o que dizer, já que o que está na internet pode influenciar centenas de pessoas. "A internet é um local de fala, de debate, mas também de fake news. É importante ter conhecimento sobre o que está falando para não propagar ainda mais notícias falsas, mas é bacana poder se expressar e promover reflexões. No campo da política, para mim, é ter voz ativa no micro e no macroambiente, é um direito de todo cidadão", afirma Julia. 

DESTAQUES DOS EDITORES