Publicidade
Opinião

Liberação do jogo: terá cassino em Curitiba?

Liberação do jogo: terá cassino em Curitiba?

Será agora que a liberação dos cassinos vai avançar definitivamente? O tema vem sendo falado de forma muito insistente nos últimos dois anos, e várias notícias disseram, no final de 2017, que o ano presente não começaria sem que o assunto estivesse resolvido. Não aconteceu, mas não está morto nem parece que ficará tramitando eternamente na Câmara. Notícias recentes, por exemplo do Valor Econômico, apontam que a CCJ (Comissão de Constituição e Justiça) do Senado deverá votar o projeto de legalização do jogo do senador Benedito Lira esse mês e depois vá a plenário do Senado.


Será mesmo em 2018?...

Ainda segundo o Valor, os principais obstáculos a todo o processo poderão partir não da bancada evangélica e de sua oposição moral e de princípio à legalização do que os deputados consideram um pecado, mas sim das diferenças entre os interessados. Os grandes empresários ligados a Las Vegas e Singapura pretendem prioridade aos estabelecimentos de grande porte, enquanto os investidores brasileiros e argentinos preferem liberdade para estabelecimentos de média dimensão.


A alternativa do jogo online

Claro que, enquanto a jogatina não for liberada, o cidadão continuará tendo a alternativa 100% legal de acessar o casino através da internet, tal como já faz atualmente. Afinal, o fato de os brasileiros poderem jogar na roleta online e ganhar prêmios de verdade em cassinos baseados no estrangeiro, e cumprindo as exigentes obrigações legais dos países onde estão instalados seus sistemas eletrônicos, foi um dos grandes motivos para trazer a discussão da liberação de volta à sociedade civil brasileira. Para muitos, a proibição simplesmente não faz mais sentido.


Onde ficaria o cassino no Paraná?

De qualquer forma, o que vem sendo falado é que o cassinos, propriamente ditos, serão instalações de grandes dimensões, colocadas em resorts turísticos já preparados para o efeito. É o que acontece com o Hotel Jequitimar, de Silvio Santos, no litoral paulista, ou o Costão do Santinho em Santa Catarina. Não terá mais esse conceito de chamar de cassino qualquer casa com umas dez máquinas de caça-níquel, como acontece atualmente com as casas ilegais que são chamadas de cassinos pela mídia quando é divulgado seu encerramento pela autoridade policial.

O projeto diz também que haverá um limite de cassinos por estado, relacionado com sua população. Estados com até 15 milhões de habitantes teriam direito a um cassino apenas, o que é nosso caso. Ao contrário de outros estados, no Paraná não tem havido muita discussão sobre onde ficaria o estabelecimento. Mas não tenha dúvida que aparecerá um empresário, pois a licença será válida por muitos anos e isso é uma fonte de renda garantida. Será que Curitiba vai ganhar um cassino igual aos de S. Paulo ou Santa Catarina?

DESTAQUES DOS EDITORES