Publicidade
Politécnico

Maior usina solar pública do Paraná deve ser entregue neste mês

Painéis no Politécnico
Painéis no Politécnico (Foto: Franklin de Freitas)

O estacionamento do Setor de Ciências Biológicas, no Centro Politécnico da Universidade Federal do Paraná (UFPR) passa por obras desde setembro, quando começou a ser instalada a maior usina solar pública do Paraná. O espaço será transformado em um estacionamento coberto e permitirá à UFPR uma economia anual de quase R$ 500 mil em energia elétrica. O término das obras está previsto para 15 de novembro.

As placas solares fotovoltaicas são instaladas no estacionamento que passará a ser coberto com a estrutura. O projeto tem financiamento da Copel em cumprimento à Lei 9.991, de 2000, de investimentos em pesquisa e desenvolvimento e em eficiência energética. Ontem, o serviço estava bem adiantado e boa parte dos painéis solares estavam instalados.

Iniciativas semelhantes estão em implantação para atender universidades, escolas, empresas e condomínios com recursos a fundo perdido ou por meio de financiamento do Programa de Eficiência Energética. O projeto da Copel já instalou, neste ano, os painéis fotovoltáicos no telhado da Prefeitura de Curitiba. A economia para o município com os painéis solares será de R$ 100 mil por ano.

Atualmente, além do Programa de Eficiência Energética, que destina 0,5% da receita operacional líquida para projetos a fundo perdido ou financiamentos, a Copel tem uma chamada pública para projetos semelhantes, mas para formar novas parcerias em que os produtores de energia ou investidores podem se associar à Copel.

Ranking

Embora seja o sexto estado do Brasil em termos de unidades com geradores de energia solar conectados ao sistema elétrico, com 2.767 unidades (entre sistemas de energia solar resindenciais, comerciais, industriais, rurais e outros) — dados até o final do ano passado —, o Paraná é também o quinto maior produtor de energia fotovoltaica no país, sendo responsável por 5,4% da energia solar produzida no Brasil.

O Paraná tem boas condições para a geração da energia solar. Até mesmo Curitiba, que tem muitos dias nublados, tem 39% mais capacidade de gerar energia limpa que a Alemanha, um dos líderes na captação de energia solar no mundo, apontam estudos.

Publicidade

Plantão de Notícias

Mais notícias

DESTAQUES DOS EDITORES