Publicidade

Maria Rita emociona com homenagem potente ao samba brasileiro

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A chuva não foi suficiente para desanimar o público neste domingo (19), estimado pela produção em 8.000 pessoas, que aguardava Maria Rita no palco da avenida São João às 14h30.

Ao longo de todo o show, interagiu, através do samba, tanto com o público quanto com a banda, conquistando pela intensidade de suas interpretações.

Entre os sambas clássicos, "Reza" e "Tradição", Maria Rita agradeceu ao público que, apesar da chuva, a acompanhava na cantoria, e brincou "Afinal, estamos na terra da garoa".

Em tom mais sério, em seu único discurso ao longo da uma hora de espetáculo, a cantora lembrou da importância da cultura. "Adorar e apoiar a cultura não é apenas o que nós artistas queremos, é que o público quer". Ovacionada, completou: "Estar aqui hoje é um ato de resistência. É um ato de coragem".

Aproveitando refrão de "Cara Valente" –"Ele não é de nada/ Essa cara amarrada é só/ Um jeito de viver na pior"– as pessoas começaram a gritar "Ele não", em referência à palavra de ordem anti-bolsonarista. Maria Rita apenas sorriu e brincou "Hoje vocês tão que tão!".

Maria Rita também "tava que tava", mesmo ao longo de sambas mais lentos, como "Coração em Desalinho", conseguiu manter o público dançando. Ela própria não deixou de sambar em nenhum momento.

O show se encerrou com "Vou Festejar" e, a essa altura, as varandas dos prédios da avenida São João estavam lotadas de pessoas que acenavam e dançavam. Um dos moradores ajudou no encerramento, lançando confetes pela janela, que traduziram muito bem o clima de festa que perdurou ao longo de toda a apresentação.

Publicidade

Plantão de Notícias

Mais notícias

DESTAQUES DOS EDITORES