Publicidade

Mariana Santos, a Carla de 'Malhação, diz que tem pânico de violência

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - As histórias retratadas em "Malhação - Toda Forma de Amar" abordam a violência no Rio de Janeiro e, na vida real, a atriz Mariana Santos, 42, diz que já sentiu pânico de ter de sair de casa.

Se a trama narra assaltos frequentes, assassinatos, o papel da milícia e a convivência das famílias em meio a todas essas questões, Mariana diz que sente na pele essa realidade.

"Eu praticamente só saio de casa para trabalhar. Tive uma fase que passar pela Grajaú-Jacarepaguá me dava pânico. Eu tinha pavor, tremia e chorava", conta a atriz, em entrevista ao jornal carioca Extra.

Dona de uma lanchonete na trama, a personagem Carla é paranoica com a violência urbana e, por isso, controla a vida dos filhos Raíssa (Dora de Assis) e Thiago (Danilo Maia).

Mariana diz que já foi assaltada algumas vezes. "Na primeira vez em que fui assaltada, eu estava no ônibus, voltando para casa, na Tijuca, Zona Norte do Rio. O cara me mostrou a arma, mandou eu entregar tudo, e, na maior calma, eu abri a bolsa", conta a atriz.

Mariana diz que o ladrão perguntou se ele morava no bairro. "Falei na hora que sim e que conhecia o Serginho do Borel, um cara que foi namorado da empregada de uma amiga da minha tia. Eu não sei por que falei isso e não entendi o que aconteceu, mas eu recebi todo o meu dinheiro de volta", conta ela, aos risos. 

DESTAQUES DOS EDITORES