Publicidade
Estreia nos Cinemas

'MIB: Internacional': Agora são eles que vão limpar a Terra da escória do Universo

Os agentes M (Tessa Thomspon) e H (Chris Hemsworth) em ‘Homens de Preto’: ela é a poderosa e ele é o debochado
Os agentes M (Tessa Thomspon) e H (Chris Hemsworth) em ‘Homens de Preto’: ela é a poderosa e ele é o debochado (Foto: Divulgação)

‘Homens de Preto’, de 1997, é um filme sobre uma agência secreta que caça alienígenas que vivem ilegalmente no planeta Terra. Isso, a grosso modo. O filme, baseado em uma obscura (na época) história em quadrinhos, traz os atores Tommy Lee Jones (agente K) e Will Smith (agente J) em estado de graça. Traz um roteiro repleto de humor ácido e críticas ao comportamento humano (“O ser humano é burro, estúpido e perigoso”, diz K). Traz questionamentos sobre o que aconteceria se aliens realmente vivessem incógnitos entre os humanos. Traz sugestões para teorias da conspiração. E traz divertidas referências pop: “Sabia que Elvis morreu?” questiona a certa altura o agente J (Will Smith). “Não morreu, só voltou para o planeta dele”, respondeu o veterano K. Os Homens de Preto – ou ‘MIB’, sigla para ‘Men in Black, o título original – fizeram escola para o cinema. E houve teve mais dois capítulos: o ‘MIB 2’, com uma vilã interpretada por Sarah Flynn Boyle, e o ‘MIB 3’, com Josh Brolin no papel de K ainda jovem e uma história maluca de viagem no tempo. Os dois quase pulverizaram o potencial de desenvolvimento da franquia. Mas essa franquia ganha um fôlego com ‘MIB: Homens de Preto Internacional’, que estreia nesta quinta-feira (13) em Curitiba.

O novo Homens de Preto não tem mais Will Smith ou Tommy Lee Jones, reduzidos a uma rápida lembrança. Mas tem Chris Hemsworth e Tessa Thompson, que já trabalharam juntos em ‘Thor: Ragnarok’, onde ele é o Deus do Trovão e ela é uma Valquíria que não se dobra a ninguém.
No filme, Hemsworth interpreta o agente H, que, alguns anos antes, junto com o agente T (Liam Neeson), salvou o planeta da invasão da Colmeia, uma horda de alienígenas hostis. O papel dos Homens de Preto, como se sabe, é limpar a Terra da escória do Universo.

Tessa Thompson, por sua vez, é Molly. Quando criança, ela viu um alien escondido em sua casa. Ao contrário de seus pais, que foram interpelados por Homens de Preto, a menina conseguiu escapar da ação de um neuralizador – aquele aparelho que apaga a memória de quem teve experiências com aliens. Mas não escapou da ideia de se tornar um Homem de Preto. Uma vez adulta, para conseguir seu sonho, ela chega a hackear o telescópio Hubble e a procurar eventos alienígenas enquanto cumpre expediente num call center. Ela consegue até mesmo enganar dois agentes do MIB e se infiltrar na sede da organização, em Nova York. Até que acaba descoberta – e posteriormente recrutada – pela agente O (Emma Thompson), uma das chefes do local. Molly, ou melhor, agente M, é enviada em período de experiência para a agência MIB de Londres. Já se disse que é “Homens de Preto Internacional”? Sim, eles estão por toda parte. Na agência inglesa, M vira parceira de H numa missão de proteção a um alien chamado Vulkus. Outros dois aliens, ligados à Colmeia, estão atrás deles. A missão dá ruim para os agentes. E a conclusão de por que deu ruim é óbvia, porém dolorosa: há um espião dentro do MIB.

‘MIB: Homens de Preto Internacional’ não esconde a proposta de ter uma protagonista mulher – há, inclusive, um diálogo hilário entre as agentes M e O nesse sentido. A vantagem é que Tessa Thompson faz com que tudo pareça natural. Sua agente M não fica nada a dever a qualquer outro da corporação – na verdade, ela vai até melhor, já que é inteligente e focada, ao contrário do debochado agente H. Tessa e Hemsworth, nesse caso, invertem a química vista entre eles em ‘Thor: Ragnarok’: aqui, ela é a “poderosa” e ele serve de apoio cômico. Se por um lado o filme peca ao deixar de lado o humor ácido do primeiro longa, por outro lado entrega uma dupla de protagonistas capaz de render continuações sem que o potencial da franquia seja pulverizado.


Rápida

Sergio Mallandro faz ‘ponta’ no filme
O ator e humorista Sérgio Mallandro está na versão brasileira do filme ‘MIB: Homens de Preto – Internacional’. Antes do lançamento, ele chegou a publicar dois vídeos em que aparece falando expressões marcantes de sua carreira. “Você não me leva a sério, mas o futuro do planeta pode estar nas minhas mãos! Aguarde!”, escreveu o humorista na legenda de um vídeo que publicou em seu perfil no Instagram.


Eles estão entre nós

Oito maneiras de como o cinema vê os alienígenas que vêm à Terra

Imigrante ilegal

‘Homens de Preto’ (1997 a 2019)

Destruidor em escala cósmica

‘Vingadores: Guerra Infinita’ (2019)

Super-herói

‘Superman’ (1978)

Praga

Franquia ‘Alien’ (1979 a 2018)

Bicho de estimação

‘ET’ (1982)

Adolescente bagunceiro

‘Marte Ataca’ (1997)

Caçador em um safári

‘Predador’ (1987)

Objeto de procura de caçadores de relíquias

‘Indiana Jones e o Reino da Caveira de Cristal’ (2008)

DESTAQUES DOS EDITORES