Publicidade

Mídia europeia cita 'virada de agulha' de Bolsonaro, mas segue preocupada

O tom considerado menos radical do presidente Jair Bolsonaro sobre a pandemia de coronavírus durante pronunciamento na noite desta terça-feira, 31, chamou a atenção da imprensa europeia. No entanto, as preocupações em relação à sua postura sobre o surto da Covid-19 permanecem presentes no noticiário do continente.

De acordo com o jornal português Expresso, o líder brasileiro "virou a agulha" ao dizer que sua intenção sempre foi a de salvar vidas. O periódico também destacou o trecho da fala em que ele assume estar "diante do maior desafio" da sua geração e em que promete equilibrar as medidas restritivas de contato social com a proteção da atividade econômica.

O francês Le Figaro salientou que o presidente brasileiro subestimou repetidamente a escalada da epidemia e criticou as medidas de contenção, mas que agora admite que a covid-19, já chamada por ele de "gripezinha", "é o maior desafio" do Brasil. Há uma semana, esse jornal escreveu que, diante do perigo do surto, Bolsonaro não levava mais os brasileiros a rirem.

O britânico The Guardian, que ontem à noite trouxe um editorial dizendo que o presidente representava um perigo para os brasileiros, salientou nesta quarta que Bolsonaro tem sido ignorado por governadores em relação ao surto e que até antigos aliados têm se recusado a acatar os pedidos do presidente para que as pessoas voltem ao trabalho. O periódico também lembrou que ele descreveu o coronavírus como uma "gripezinha" e alegou que seu "histórico atlético" o protegeria da doença.

No também britânico Financial Times, a ênfase foi a de que as trapalhadas de Bolsonaro durante o surto põem em risco seu futuro político e que a doença o levou a ficar impaciente. "O vírus está aí. Precisamos encarar isso como um homem, caramba. Todos nós vamos morrer um dia", lembrou o jornal sobre a fala do líder da direita no domingo, poucos dias depois de anunciar uma campanha que pedia aos cidadãos que quebrassem o autoisolamento e retornassem ao trabalho.

O italiano Corriere della Sera, de Milão, na região da Lombardia, uma das mais afetadas pelo vírus no país, colocou na página principal do seu site o discurso legendado de Bolsonaro com a explicação de que o presidente diz ter a missão dupla de combater o vírus e salvar os empregos. O alemão Deutsche Welle ressaltou que, isolado, o presidente tenta ajustar o discurso sobre a covid-19 para recuperar a liderança política e adota um tom menos radical.

Publicidade

Plantão de Notícias

Mais notícias

DESTAQUES DOS EDITORES