Publicidade

Museu dedicado a cachorros reúne quadros, esculturas e livros em Nova York

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Apaixonados por cães já têm mais uma opção de lazer em Nova York: um museu com dois andares repletos de esculturas, pinturas, uma biblioteca e outras peças dedicadas ao melhor amigo do homem.

Inaugurado no dia 8 de fevereiro, o Museum of the Dog espera receber 100 mil visitantes por ano e é financiado pela associação profissional de criadores American Kennel Club —que anualmente organiza o famoso concurso de beleza canino Westminster Dog Show.

Entre os quadros expostos está “Millie”, a springer spaniel inglesa de George e Barbara Bush. Outra tela, chamada “Silent Sorrow”, ilustra a tristeza do fox terrier do rei Edward 7º após a morte repentina de seu tutor inglês, em 1910.

Este novo museu marca o retorno a Nova York, em maior escala, de uma pequena coleção reunida em 1982, segundo a agência AFP.

O acervo foi transferido em 1987 para St. Louis, no Centro-Oeste, longe dos circuitos turísticos.

Com o retorno para Nova York, a organização de criadores espera seduzir os muitos amantes de cães da capital financeira norte-americana, conhecidos pelo cuidado com seus cães: é comum ver cachorros passeando em carrinhos de bebê, ou vestidos no inverno com roupas em caxemira, diz a AFP.

“É ótimo para mostrar uma coleção que definhava no escuro”, afirmou à agência de notícias o diretor executivo do museu, Alan Fausel.

O museu também tem painéis interativos, como o que permite ao visitante tirar uma foto e ver com qual raça canina registrada no American Kennel Club ele se parece.

O museu fica no número 101 da avenida Park. O ingresso custa US$ 15 para adultos e US$ 10 para estudantes, idosos e militares. Crianças com menos de 12 anos pagam US$ 5.

DESTAQUES DOS EDITORES