Publicidade
Comando

Na média, Malucelli é 18 dias mais paciente que Petraglia

A diretoria do Atlético mudou em janeiro de 2009. Saiu o grupo de Mario Celso Petraglia e entrou Marcos Malucelli. No entanto, a falta de paciência com os técnicos continua a mesma. Com Malucelli, cada treinador durou em média cinco meses no clube. Com Petraglia, a média era de 4 meses e 12 dias. Ou seja, os profissionais ganharam 18 dias a mais para trabalhar, em média.
O cálculo não considera os interinos, que ficam apenas por um período curto, até que o clube contrate um treinador definitivo.

Malucelli começou sua gestão com Geninho de técnico. A demissão ocorreu na primeira semana de junho, 150 dias após do início do mandato. Em seguida, veio Waldemar Lemos, que durou 45 dias. O preparador-físico Riva Carli foi interino por uma partida. Antonio Lopes foi contratado depois e permaneceu no cargo de agosto de 2009 até março de 2010.

Petraglia assumiu o comando do clube em maio de 1995 e permaneceu na direção até dezembro de 2008. Nesse período, foram 37 trocas de treinadores. O ano com mais trocas de comando foi em 2002. Geninho, Riva Carli, Valdir Espinosa e Abel Braga foram os técnicos naquele ano.

Desde 1995, o Atlético nunca conseguiu começar e terminar um ano com o mesmo técnico. Os anos de maior estabilidade foram em 1997 (apenas Jair Pereira e Abel Braga) e 1999 (só Antonio Clemente e Vadão).

Os últimos anos de Petraglia no Atlético foram os mais agitados. Em 2005, o clube teve quatro técnicos (Casemiro Mior, Edinho Nazareth, Antonio Lopes e Evaristo de Macedo) e dois interinos (Lio Evaristo e Borba Filho). Em 2006, teve três treinadores (Lothar Matthäus, Givanildo Oliveira e Vadão) e três interinos (Vinícius Eutrópio, Leandro Niehues e Privatti). Em 2008, o Atlético começou com Ney Franco, passou por Roberto Fernandes e Mário Sérgio e terminou com Geninho.

AS TROCAS DE COMANDO NO ATLETICO

OS TÉCNICOS DE PETRAGLIA
1995: Zequinha e Pepe
1996: Emerson Leão, Cabralzinho, Carlos Gainete e Evaristo de Macedo
1997: Jair Pereira e Abel Braga
1998: Abel Braga, Zequinha (interino) e João Carlos Costa
1999: Antonio Clemente e Vadão
2000: Vadão, Artur Neto, Riva Carli (interino) e Antonio Lopes
2001: Paulo César Carpegiani, Flávio Lopes, Mário Sérgio e Geninho
2002: Geninho, Riva, Valdir Espinosa, Gilson Nunes e Abel Braga
2003: Heriberto da Cunha, Lio Evaristo (interino), Vadão e Mário Sérgio
2004: Mário Sérgio, Julio Toledo Piza (interino), Lio Evaristo (interino) e Levir Culpi
2005: Casemiro Mior, Lio Evaristo (interino), Edinho Nazareth, Borba Filho (interino) Antonio Lopes e Evaristo de Macedo
2006: Vinícius Eutrópio (interino), Lothar Matthäus, Leandro Niehues (interino) Givanildo Oliveira, Privatti (interino) e Vadão
2007: Vadão, Ivo Secchi (adjunto), Antonio Lopes e Ney Franco
2008: Ney Franco, Roberto Fernandes, Cleocir Santos – Tico (interino), Mário Sérgio e Geninho

OS TÉCNICOS DE MALUCELLI
2009: Geninho, Waldemar Lemos, Riva Carli (interino) e Antonio Lopes
2010: Antonio Lopes, Leandro Niehues



Leandro Niehues define hoje a escalação
O técnico Leandro Niehues começa a definir hoje o time do Atlético para a partida contra o Iraty, sábado em Irati. O volante Alan Bahia levou o 3º cartão amarelo e desfalcará o time. A principal opção para substituí-lo é o meia-atacante Tartá, que cumpriu suspensão na última rodada. O meia Paulo Baier, que entrou no 2º tempo do clássico, após 50 dias em tratamento de uma lesão muscular, também tem chances de começar como titular. Segundo o técnico Antonio Lopes, demitido na segunda-feira, a previsão é que, no sábado, o jogador já tenha condições físicas para atuar 55 ou 60 minutos. O atacante Marcelo, recuperado de lesão, também é opção para o ataque. Ele disputa posição com Javier Toledo e Bruno Mineiro. (SRF)




Publicidade

Plantão de Notícias

Mais notícias

DESTAQUES DOS EDITORES