Publicidade
Atrelada ao IPCA

Nova linha de crédito imobiliário da Caixa tem prós e contras; veja quais são

Nova linha será disponibilizada a partir de 26 de agosto
Nova linha será disponibilizada a partir de 26 de agosto (Foto: Valter Campanato/Agência Brasil)

O presidente da Caixa Econômica Federal, Pedro Guimarães, afirmou nesta terça-feira (20) que a nova linha de crédito imobiliário lançada pelo banco, que será indexada ao IPCA, terá taxas variando de 2,95% a 4,95% ao ano. Para esses contratos, a atualização monetária será feita por meio do IPCA - e não mais pela Taxa Referencial (TR), utilizada nos contratos mais antigos. Hoje, as taxas dos contratos da Caixa indexados à TR possuem juros variando entre 8,30% e 9,95%, citou Guimarães. A vantagem é que as prestações devem ser mais baixas, porém, dependem da inflação e serão recalculadas a cada mês.

“Vamos manter linhas atuais e vamos oferecer linha nova, com o IPCA”, disse Guimarães durante o anúncio. Segundo ele, com a adoção do IPCA, haverá queda de 35% no valor da prestação no caso de um financiamento com taxa mais cara (4,95%). Isso na comparação com os contratos tradicionais, ligados à TR. No caso de contratos com taxa mais barata (2,95%), a queda no valor da prestação foi estimada em 51%.

“Acreditamos que a linha corrigida pelo IPCA é o futuro”, disse Guimarães. De acordo com o banco, os contratos com financiamento indexado ao IPCA serão aplicados em novos contratos no Sistema Financeiro Imobiliário (SFI) e no Sistema Financeiro de Habitação (SFH). Os contratos indexados ao IPCA terão prazo de 360 meses e financiamento máximo de 80%.

Durante o evento no Palácio do Planalto, Pedro Guimarães afirmou que na condição atual a parcela de um imóvel de R$ 300 mil seria superior a R$ 3 mil. Com a nova modalidade, segundo ele, a parcela cairá para cerca de R$ 2 mil.

Para analistas, porém, empréstimos para a compra da casa própria corrigidos pela inflação representam risco porque, se o IPCA aumentar no período do contrato, o custo do financiamento também aumentará. Como são contratos a longo prazo, fica difícil prever como estará o IPCA.

Principais pontos da nova linha
- A taxa mínima será de IPCA + 2,95% ao ano
- A taxa máxima será de IPCA + 4,95% ao ano
- Nova modalidade valerá só para novos contratos
- As taxas entrarão em vigor a partir de 26 de agosto
- A adesão à nova modalidade será facultativa, ou seja, o cliente poderá optar por aderir ou não ao formato
- Os contratos terão prazo máximo de 30 anos
- O financiamento será de até 80% do valor do imóvel
- A parcela vai ser recalculada mensalmente, de acordo com a inflação divulgada pelo IBGE (portanto, a parcela pode variar a cada mês)
- O consumidor que optar pela modalidade de correção pelo IPCA não poderá alterar o contrato para ter a correção pela Taxa Referencial
- O banco disponibilizou R$ 10 bilhões para a nova linha de crédito

Publicidade

Plantão de Notícias

Mais notícias

DESTAQUES DOS EDITORES