Publicidade
Comédia romântica

Nova novela das sete, 'Bom Sucesso,' promete abordar morte e doença terminal de maneira leve

(Foto: Divulgação)

RIO DE JANEIRO, RJ (FOLHAPRESS) - Está marcado para o dia 29 de julho, a estreia de "Bom Sucesso", trama das 19h, em 155 capítulos, que substituirá "Verão 90", na Globo.

A história principal gira em torno de Alberto (Antonio Fagundes), dono de uma editora que está à beira da morte com uma doença terminal. Quem o ajuda a curtir os poucos meses de vida e a valorizar mais sua família é Paloma (Grazi Massafera), que vai trabalhar na casa dele e, aos poucos, começa um processo para mudar seu jeito de enxergar os obstáculos da vida. Um "encontro de almas", como gostam de definir os autores da obra.

Porém, por mais que aborde temas fortes, a trama não vai causar impacto negativo nos telespectadores. É o que revelam os criadores Rosane Svartman e Paulo Halm.

"Apesar da discussão sobre a morte, a abordagem principal é sobre a vida e a vontade de viver. Não vai assustar ninguém", define Halm ao citar a tradicional preocupação de entreter o público no horário das 19h.

"O Alberto, por mais que esteja em uma cadeira de rodas, doente, rabugento e desgostoso, é muito espirituoso e tem umas tiradas ótimas. Estamos propondo uma novela que cause reflexão, mas não sustos. É uma comédia dramática", reforça.

Na história, o encontro de Paloma e Alberto acontece de uma forma nada convencional. No hospital, ambos têm seus diagnósticos trocados. Assim, no início da novela, é Paloma, uma passista de escola de samba e costureira, quem acredita estar com doença em estágio terminal.

Dessa situação surgem algumas das cenas mais divertidas do início da trama. A mocinha, desacreditada por ter apenas seis meses de vida, começa a aproveitar o tempo que lhe resta e a fazer loucuras. Entre elas, estão uma noite de sexo com o primeiro homem que ela encontra no meio da rua e um escândalo em seu trabalho, com direito a vidraça quebrada, que rende a ela uma demissão por justa causa.

"Queremos que as pessoas comentem sobre esses motes [morte, doença e prazo para morrer] nas mesas de jantares. Nossa ideia também passa pelo fato de levar a reflexões sobre como é importante aproveitar a vida de verdade. Não terá viés de tema mórbido, a história fala sobre o ato de viver e o quão importante é estar de bem com isso. Claro que pode emocionar, mas vai fazer rir também", destaca Luiz Henrique Rios, diretor artístico.

Para a autora Rosane, é possível fazer uma novela com uma carga dramática forte sem afugentar as pessoas. Ela cita como exemplo "Totalmente Demais" (Globo), que o trio conduziu junto, em 2015. "Naquela ocasião, nós mostramos assuntos como pedofilia e abuso e foi leve. Vamos nesse mesmo caminho", promete.

No decorrer da trama, outros assuntos polêmicos serão abordados. Entre os temas que serão discutidos, estão o uso de drogas e o preconceito. Boa parte do enredo se passa no bairro de Bonsucesso, subúrbio carioca de onde vem a mocinha.

"Se conseguirmos fazer com que a família reflita já será um gol", comenta Halm, acrescentando que a literatura será outra abordagem. "Se as pessoas começarem a ler mais será outro golaço", completa.

Na narrativa, a costureira Paloma é viciada em leitura e até o nome de seus três filhos foi dado por inspiração em personagens de fábulas literárias. Os livros, aliás, serão um bom modo de aproximar cada vez mais Paloma de Alberto no tal "encontro de almas".

A novela "Bom Sucesso" tem também no elenco Fabiula Nascimento e Ingrid Guimarães, que serão vilãs, e David Júnior e Rômulo Estrela, que em certo momento vão fazer um triângulo amoroso com a personagem principal.

E já que a trama promete tudo isso de uma forma leve, a audiência é mais uma questão que pode influenciar no andamento da novela. Tanto que os autores deixam em aberto a expectativa sobre os acontecimentos, inclusive sobre a possível morte do personagem central, o Alberto, que já começa com pouco tempo de vida. 

"Tudo pode acontecer", despista a autora. "Estamos felizes por ver que 'Verao 90' está indo bem em audiência. Queremos, claro, que nossa história impressione e mantenha esses índices bons", finaliza Rosane

O que já é sabido é que Fagundes deve ir até o final da história. A doença dele também não será especificada em detalhes, mas ficará claro ser um tipo de câncer.

Publicidade

Plantão de Notícias

Mais notícias

DESTAQUES DOS EDITORES