Publicidade
Lava Jato

Operador do PSDB guardava R$ 100 milhões

A Polícia Federal (PF) cumpriu 12 mandados de busca e apreensão e um de prisão na 60ª fase da Operação Lava Jato, chamada de Ad Infinitum. O ex-diretor da Dersa Paulo Vieira de Souza foi preso em São Paulo.
De acordo com o procurador Roberson Pozzobon, Paulo Vieira – apontado como “operador financeiro” do PSDB paulista - participou de lavagem de mais de R$ 100 milhões. A operação envolve a Odebrecht e também investiga os outros supostos operadores do esquema Rodrigo Tacla Duran, Adir Assad e Álvaro Novis. Os investigadores afirmam que Souza foi “usado” como operador financeiro da Odebrecht e teria disponibilizado R$ 100 milhões em espécie no Brasil para que a empreiteira fizesse pagamentos a ex-diretores da Petrobras.
Os operadores disseram que Paulo Vieira tinha um bunker para guardar propinas de mais de R$ 100 milhões e que chegava a colocar notas para “tomar sol” para evitar bolor.

DESTAQUES DOS EDITORES