Publicidade
Mundo

Oposição relança tentativa de destituir presidente do Peru

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Deputados peruanos da oposição apresentaram nesta quinta-feira (8) uma nova moção de vacância pela destituição do presidente Pedro Pablo Kuczynski, acusando-o de ter mentido sobre suas ligações com a construtora brasileira Odebrecht. A moção foi assinada por 30 deputados. Pelo menos 87 votos são necessários para realizar o impeachment de Kuczynski, conhecido pela sigla PPK. Na semana passada, o ex-dirigente da Odebrecht no Peru Jorge Barata afirmou ao Ministério Público que a construtora fez repasses em caixa dois para campanhas eleitorais de PPK, de outros três ex-chefes do Executivo do país e da líder opositora Keiko Fujimori. De acordo com Barata, que ocupou o cargo de diretor-superintendenteda Odebrecht no Peru, a campanha de Kuczynski recebeu US$ 300 mil da empresa no ano de 2011, quando ele ficou em terceiro lugar no pleito presidencial. Uma tentativa anterior de remover PPK do cargo em dezembro fracassou, após o presidente ter negociado apoio em troca de indulto ao ex-presidente Alberto Fujimori.  Ainda não há previsão de votação da nova moção.  A primeira-ministra peruana, Mercedes Aráoz, questionou a nova moção, afirmando que a oposição está agindo por "vingança e revanche", segundo o jornal El Comercio.
Publicidade

DESTAQUES DOS EDITORES