Sequelas

Pandemia fez brasileiros ficarem mais sedentários

(Foto: Divulgação)

Levantamento de controle remoto, revezamento de séries na televisão e corrida para o sofá. Essas foram as principais atividades desenvolvidas pelos brasileiros durante a pandemia de Covid-19, segundo dados do Projeto Convid – Pesquisa de Comportamento, levantamento realizado pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) em parceria com a Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) e a Universidade Estadual de Campinas (Unicamp). O estudo, divulgado no ano passado, mostrou que 62% dos brasileiros entrevistados deixaram de fazer qualquer tipo de exercício durante a pandemia.

Para mudar esse cenário e celebrar o Dia Mundial da Saúde, comemorado nesta quinta-feira (7), o profissional de Educação Física Marcos Junior vai realizar o Aulão da Saúde, evento aberto ao público e gratuito. O aulão acontece no dia 7, no formato on-line, no Instagram @profmarcosjr às 19h40, com duração de apenas 20 minutos e pode ser feito em qualquer tipo de ambiente, sem a necessidade de equipamentos específicos.

Marcos Junior, que ganhou projeção nacional durante a pandemia com a metodologia TFMJ20 – um treinamento funcional on-line com duração de 20 minutos e que fez muita gente sair do sedentarismo e ainda entrar em forma –, explica que, ao contrário do que muita gente pensa, não basta só “ter força de vontade” para sair do sedentarismo.

Segundo ele, é necessário, principalmente, disciplina e organização. “Dizer que vai sair do sedentarismo é algo muito empírico. Qualquer pessoa que sobe e desce escadas acha que está fazendo atividade física regular. Mas é necessário verificar se esse exercício é compatível às necessidades e objetivos dessa pessoa, se ela está consumindo mais energia do que consome ao longo do dia, além de outros fatores envolvidos”, argumenta.

O profissional de Educação Física afirma que, para quem quer cuidar da saúde, a disciplina e a organização com os exercícios são fatores tão importantes quanto a alimentação balanceada, as horas de sono e a hidratação. “Eu sempre digo para os meus alunos que, se eles precisam comer todos os dias, também precisam se movimentar diariamente. Movimento é vida, basta ver uma gestante. Se o bebê estiver se mexendo, é sinal de que está tudo bem”, destaca.

Por outro lado, Marcos Junior ressalta todos os problemas causados pela falta de atividade física tendem a se agravar com o passar dos anos. “As pessoas ficam contando com a sorte. Mas o ideal é cada um fazer a sua parte e evitar as doenças cardíacas e outros problemas que podem ser evitados”, observa.

RECONHECIMENTO

Com a proposta de tirar as pessoas do sedentarismo e uma ideia que surgiu no início da pandemia de Covid-19, em abril de 2020, Marcos Junior conseguiu driblar as dificuldades impostas pelo isolamento social e, além de manter seus alunos ativos, conseguiu fazer com que muitas outras pessoas aderissem aos exercícios físicos e a hábitos de vida mais saudáveis.

Com essa iniciativa, em agosto de 2021 Marcos Junior conquistou o 1.º lugar na Região Sul no Prêmio Personal do Ano 2021. Por dois anos consecutivos (2020 e 2021), ele conquistou o 2.º lugar nacional, concorrendo com mais de 180 profissionais de todo o país.

Os projetos desenvolvidos para estimular a atividade física também renderam ao profissional o Prêmio Cidade de Curitiba, concedido pela Câmara de Vereadores de Curitiba.