Publicidade
Exterior

Papa retira do sacerdócio principal acusado de abusos no Chile

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O Vaticano anunciou nesta sexta-feira (28) que o papa Francisco "demitiu do estado clerical" Fernando Karadima, 88, um dos principais acusados de abusos sexuais no Chile.

Isso significa que Karadima deixa de ser padre e se torna leigo, e não pode mais cumprir nenhuma função clerical, como rezar missas e ouvir confissões.

"O papa Francisco demitiu da função clerical Fernando Karadima Fariña, da arquidiocese de Santiago do Chile. O Santo Padre tomou esta decisão excepcional de forma consciente e pelo bem da Igreja", informa o comunicado do Vaticano.

O decreto foi assinado por Francisco na quinta-feira (27). Karadima, que supostamente vive em um asilo em Santiago, foi informado nesta sexta.

Karadima foi considerado culpado de abusar de meninos durante vários anos, em uma investigação conduzida pelo Vaticano em 2011. Ele havia sido condenado a viver uma vida de "orações e penitência".

Agora, a sentença anterior foi revogada.

DESTAQUES DOS EDITORES