Para ficar com Everton, Atlético-PR terá de abrir os cofres

Se quiser contar com Everton em 2014, o Atlético-PR terá de abrir os cofres. Com contrato de empréstimo até 31 de dezembro, o meia rubro-negro já atraiu a atenção de outras grandes equipes do futebol brasileiro. O Furacão tem em contrato a preferência de compra dos direitos do jogador, mas para exercê-la terá de desembolsar 3 milhões de dólares (aproximadamente R$ 6,5 milhões).

O atleta pertence ao Tigres, do México, que desembolsou R$ 10 milhões por 80% dos direitos do jogador em 2010 – o jogador havia acabado de se sagrar campeão brasileiro no Flamengo. Desde então, Everton foi emprestado ao Botaforo, Suwon Bluewings (COR) e o Atlético-PR.

Pelo Furacão, Everton já atuou 34 vezes, marcando três gols e dando três assistências, sendo um dos destaques da equipe nas boas campanhas do Brasileiro e da Copa do Brasil. É o segundo jogador rubro-negro que mais acerta cruzamentos, o segundo que mais chuta a gol, o terceiro que mais sofre falta e que mais dá dribles, além de, mesmo sendo meia, ser o quarto jogador do Rubro-Negro que mais desarma os adversários.

Seu desempenho atraiu o interesse do Corinthians, que quer renovar seu meio de campo – hoje conta com Douglas, 31 anos, e Danilo, 34. A equipe paulista, contudo, só deve tentar a contratação caso o Atlético-PR informe que não irá comprar o jogador.

O Furacão já informou o atleta e o clube mexicano que deseja permanecer com Everton, mas isso foi meses atrás e desde então o clube não teria retomado as conversas para uma definição, segundo informações do Lancenet.

A contratação mais cara da história do Atlético-PR foi o atacante Santiago Morro García, comprado por US$ 6,2 milhões em 2011. O jogador uruguaio, porém, jamais conseguiu se firmar no rubro-negro e acabou rescindindo seu contrato cerca de um anos após ser anunciado.