Rede pública

Paraná registra melhor evolução na educação estadual em todo o Brasil

(Foto: Seed-PR)

Na avaliação do Ideb, estado lidera ranking nacional nos anos iniciais e mostrou maiores índices de crescimento em outros dois cenários; investimentos e tecnologia são os principais fatores

A educação pública em escolas estaduais do Paraná foi a que mais evoluiu de forma geral nos últimos anos, de acordo com dados do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb), criado pelo governo federal para medir a qualidade do ensino nas escolas públicas. Nos cenários avaliados pelo Ideb – ensino fundamental e médio – o Paraná tem o melhor índice geral do país ou a melhor evolução de um período para outro.

A evolução ocorreu graças principalmente a dois fatores: investimentos e direcionamento de recursos. Nos últimos anos, o Paraná investiu R$ 1 bilhão em educação pública. Boa parte desses recursos foram aplicados em tecnologia para a infraestrutura das escolas e em conteúdos ligados às necessidades atuais, como educação financeira, inglês e tecnologia. O objetivo é educar os estudantes para as profissões do século 21 e fazer com que o Paraná seja um estado bilíngue. Com isso, os alunos poderão competir não apenas com alunos de colégios particulares, mas com jovens de todo o mundo.

Em termos de aprendizado, a tecnologia aplicada na educação vai proporcionar aulas de programação – que deve entrar na grade curricular do ensino médio – e robótica (no contraturno escolar). Além disso, é possível ter aulas de inglês através de um aplicativo de celular, melhorar a prática de redação e ter aulas de reforço.

No caso da infraestrutura, o objetivo é que todas as salas de aula do Paraná tenham wifi de qualidade e acessos liberados para sites educacionais através internet por fibra ótica. Além disso, a partir de 2022 as matrículas poderão ser feitas 100% online – o aluno que não conseguir fazê-la pode comparecer à secretaria da sua escola. E já existe o APP Escola Paraná, um sistema em que o usuário consegue visualizar tudo sobre o aluno e que possibilita a aproximação dos pais nas escolas.

Pandemia

A tecnologia fez com que o Paraná se tornasse o primeiro estado a adotar aulas on-line durante a pandemia da Covid-19. Com isso, foi possível deixar o calendário acadêmico em dia. Nesse sentido, o Paraná foi na contramão de vários outros estados que não investiram na educação. Além disso, programas de reforço foram implantados com a volta dos estudantes às aulas presenciais.

Hoje a rede estadual de educação do Paraná conta com 1 milhão de alunos entre a 5ª série do ensino fundamental até 3° ano do ensino médio. São ao todo 2.100 escolas, todas com TV e computador para ajudar os professores e alunos nas aulas.

 

A evolução no Paraná no Ideb

* Maior índice nacional geral em 2019

Média nacional das escolas estaduais: 6,1

* Maior salto evolutivo no período entre todos os estados, com 6 posições no ranking

Média nacional das escolas estaduais: 4,7

* Maior evolução entre todos os estados, com 18,92% de aumento do índice no período

Média nacional das escolas estaduais: 3,9

 

Alguns programas e projetos aplicados nas escolas públicas do Paraná

PROGRAMA INGLÊS PARANÁ

Foi implantado no 3º trimestre de 2021. Um aplicativo ensina o aluno digitalmente, corrigindo o aluno para dar fluência na língua inglesa, de forma didática. O app já está funcionando em boa parte da rede estadual. O Investimento foi de R$ 12,9 milhões, com 405 mil alunos beneficiados.

KITS ROBÓTICA

As aulas são ofertadas no contraturno escolar e os alunos precisam se inscrever, através da Secretaria de Estado da Educação (SEED). Hoje, 20% dos alunos da rede estão inscritos na matéria. Mais de 2,5 mil kits de robótica serão entregues para 257 colégios da rede estadual do Paraná. O investimento é de R$ 9,1 milhões.

REDAÇÃO PARANÁ

Redação com inteligência artificial está funcionando em toda a rede estadual. O aluno escreve e o sistema corrige a ortografia, enquanto o professor corrige os argumentos e o desenvolvimento das ideias. Beneficia todos os alunos do Ensino Fundamental II e do Ensino Médio, além de 8.119 professores de Língua Portuguesa. Não demandou investimento; foi desenvolvido pela equipe de Tecnologia da Informação da SEED.

EDUCAÇÃO FINANCEIRA

A partir de 2022, todos os 350 mil alunos do Ensino Médio terão essas aulas duas vezes por semana. Uma atuação ativa na sociedade passa por uma relação saudável com o dinheiro. Em 2021, o investimento foi de R$ 200 mil, colocado em Plano de Aula, PPT (slides), Lista de Exercícios, HTML e vídeo interativo. Qualquer escola pública pode aderir.

COLÉGIOS CIVICO-MILITARES

Vários pais entendem que matricular os filhos nessa modalidade é oferecer uma opção segura de estudo, alinhada aos valores que eles professam. O Paraná quer oferecer todas as opções escolares disponíveis e os colégios cívico-militares estão dentro desse cardápio de escolhas. São 206 colégios espalhados pelo Estado e 110 mil alunos beneficiados.