Athletico 1x1 River Plate

Petraglia fala em ‘noite histórica’ e Autuori destaca ‘sentimento de orgulho’

Autuori
Autuori (Foto: Divulgação/Athletico.com.br/Fabio Wosniak)

O empate do Athletico Paranaense com o River Plate, nessa terça-feira (dia 24), ganhou elogios do presidente do clube, Mario Celso Petraglia, e do técnico Paulo Autuori. Os dois destacaram as circunstâncias da partida – o clube paranaense não tinha oito jogadores que testaram positivo para Covid-19.

“Hoje vivemos uma noite histórica, comprova que mudamos de patamar e não tememos ninguém! Com meninos e desfalques importantes, com um jogador a menos, o River empatou no fim em bola parada! Esse é o nosso Furacão! Aplausos para nossa comissão técnica e todos nossos atletas!”, escreveu Petraglia, no Twitter.

Em entrevista coletiva, Autuori elogiou os jogadores. “O sentimento é de orgulho pelos jogadores. Eu falei isso logo depois do jogo no vestiário. Mesmo com dificuldades enormes, a equipe vem crescendo em termos coletivos e individualmente também. O estado anímico hoje é outro, em função das vitórias e reconquistar a confiança é muito importante. Fazendo em um jogo contra a equipe mais competitiva da América do Sul, o jogo de entrega que se fez. Sabíamos que teríamos que nos defender bem e nas poucas oportunidades concretizar com sucesso. Nada a lamentar, pelo contrário. Temos a certeza de vamos sair daqui ainda mais fortes e com a certeza que em termos competitivos não temos que temer a nada e a ninguém”, disse.

O treinador também reclamou da expulsão de Reinaldo. “Estou satisfeito com eles, em função de todas as dificuldades que tivemos na véspera do jogo. E ainda enfrentar a equipe mais competitiva da América do Sul. Com tantas dificuldades, perdendo um jogador tão cedo, de maneira bastante duvidosa. O estado anímico da equipe era bem baixo algumas semanas atrás e vem crescendo ao longo do Brasileiro. Hoje, enfrentando o River, com todas essas dificuldades, o fez de uma maneira muito boa e que los leva a crer que temos nível competitivo para disputar qualquer tipo de jogo, contra qualquer equipe da América do Sul e pensar em objetivos grandes”, afirmou.

Autuori também explicou as duas substituições no intervalo. “Precisávamos reter mais a bola e o Walter é fortíssimo nisso, com muita qualidade. O Carlos Eduardo vem de uma lesão e o Kayzer bem desgastado pela sequência de jogos. É um jogador que tem uma entrega enorme em todos os jogos e é normal sentir esse desgaste. A equipe do River praticamente foi salvaguardada no Campeonato Argentino para este jogo, enquanto nós tínhamos um jogo importantíssimo no Brasileiro e temos repetido jogadores”, argumentou.