Publicidade
Repar

Petroleiros do Paraná fazem protesto por causa do preço dos combustíveis

Manifestação no ano passado de petroleiros da Repar
Manifestação no ano passado de petroleiros da Repar (Foto: Michael Martins/Rede News 24 Horas)

Trabalhadores da Refinaria Presidente Getúlio Vargas (Repar/Petrobrás), em Araucária, Região Metropolitana de Curitiba, fazem uma manifestação nesta quinta-feira (25), por volta das 7h00, em frente à fábrica.

Segundo a categoria no Paraná, "a motivação é a constante alta nos preços dos combustíveis por conta da política adotada no governo Temer e praticada também pelo governo Bolsonaro, a qual se baseia na cotação do dólar e do preço do barril de petróleo no mercado internacional", diz comunicado do Sindipetro-PR.

"A categoria entende que o setor está sendo conduzido de forma equivocada e isso penalizada a sociedade, os trabalhadores e os acionistas da Petrobrás. A começar pela subutilização das refinarias. Ao final do governo Dilma Rousseff, 96% da capacidade de refino da Petrobras era utilizada. Já sob a gestão Temer (MDB), o patamar foi rebaixado a 74% e atualmente permanece próximo a esse percentual", continua o comunicado.

Segundo Sindipetro, o país extrai em média 2,6 milhões de barris de petróleo por dia e consome 2,2 milhões. A capacidade de refino é de 2,4 milhões de barris, ou seja, o país é quase autossuficiente (precisa importar óleo leve para processar junto com o produto nacional). Porém, com a redução, as refinarias brasileiras produzem em média apenas 1,6 milhões de barris/dia.

Dessa forma, o país passou a importar mais combustível, principalmente óleo diesel dos Estados Unidos, e paga o preço do petróleo internacional, que está custando cerca de US$ 80 por barril. O custo da produção nacional gira em torno de US$ 30 a US$ 40 o barril.

"Outro erro está na prática do preço internacional. O país importa aproximadamente 20% do combustível que consome, mas a população paga o preço totalmente equivalente ao praticado no comércio internacional".

A manifestação desta quinta-feira também vai acontecer em outras refinarias do país.

DESTAQUES DOS EDITORES