Publicidade
FORÇA-TAREFA

PGR reafirma apoio, mas cobra isenção

A procuradora-geral da República, Raquel Dodge, frisou ontem a importância da isenção e da imparcialidade do Ministério Público, assegurada pela Constituição, e reafirmou seu apoio à Operação Lava Jato, mas cobrou que todos os procuradores expressem “nos atos e nas palavras” a independência da instituição. “A independência do Ministério Público (MP) está assegurada na Constituição e nas leis. Mas precisa ser vivida nos atos e nas palavras de cada membro da instituição, sabendo que o que faz ou deixa de fazer é capaz de refletir sobre todos e todas”.
Ao destacar que na segunda-feira prorrogou por mais um ano a atuação da força-tarefa da Lava Jato, Raquel Dodge afirmou que o trabalho do MP precisa se basear nas leis. “A Procuradoria-Geral da República apoia a atuação institucional de todos os seus membros, para o cumprimento da missão. Mas igualmente exige que o desempenho da atuação institucional se dê inteiramente dentro dos marcos da legalidade”, disse.

Publicidade

Plantão de Notícias

Mais notícias

DESTAQUES DOS EDITORES