Publicidade
Economia

Plataforma reúne iniciativas que trabalham para equidade de gênero

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Um mapa interativo criado para potencializar iniciativas que trabalham para a equidade de gênero e o direito das mulheres ao reuni-las em uma rede. Essa é a proposta da Plataforma UNA, lançada em junho após ficar aberta para o primeiro cadastramento durante um ano.

Realizada pela Womanity Foundation, parceira do Prêmio Empreendedor Social, e agora gerida pela ONU Mulheres, a plataforma foi desenvolvida por uma tecnologia criada apenas por mulheres. "Ter informações que cada uma das organizações dão voluntariamente é uma forma inovadora e interessante de se relacionar num país tão grande e diverso", afirma Nadine Gasman, representante da ONU Mulheres Brasil. "Tecnicamente é uma iniciativa pioneira no país."

Ela destaca ainda que a tecnologia é um caminho para o estabelecimento de parcerias. "É uma forma de reconhecer a importância de todas as mulheres brasileiras e a capacidade que têm de se conectar em rede. A plataforma registra a mobilização, possíveis conexões virtuais e reais e tanta gente importante para a promoção da igualdade de gênero."

Esse ponto de vista é compartilhado por Giuliana Ortega, diretora-executiva do Instituto C&A, que apoia financeiramente a iniciativa. "É uma grande teia que pode enxergar todo o ecossistema e também a relação entre elas‘, diz. ‘O Instituto C&A, por estar olhando para a melhoria [da condição de trabalho na indústria da moda], precisa colocar o foco na mulher. E a Plataforma UNA fortalece todo o ecossistema, tem impacto positivo na moda e trazer a tona todos os atores."

Além de conectar atores, a ferramenta se comporta como um mapa ao vivo, pois segue aberta para outras iniciativas se cadastrarem. "É um esforço contínuo para que esse número cresça e que [essas instituições] façam uso da plataforma‘, explica Ortega. ‘Elas vão conseguir se achar nessa teia, que tira organizações da invisibilidade, pois até iniciativas informais podem se inscrever."

Para participar, é preciso que o projeto tenha a equidade de gênero como missão. O cadastramento pode ser feito pelo site da Plataforma UNA (http://www.u1na.org/site).

DESTAQUES DOS EDITORES