Publicidade
REPERCUSSÃO

Políticos do Paraná criticam pronunciamento de Bolsonaro

Paulo Martins: “Errou no tom”
Paulo Martins: “Errou no tom” (Foto: Luis Macedo/Câmara dos Deputados)

Políticos paranaenses criticaram nesta quarta-feira (25) o pronunciamento do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) em rede de rádio e TV, na terça-feira à noite, quando ele voltou a minimizar a gravidade da pandemia do coronavírus, comparando a doença a uma “gripezinha” ou “resfriadinho”, e atacou governadores pelas medidas de fechamento do comércio e confinamento, defendendo a volta às aulas. Até lideranças alinhadas até então a Bolsonaro condenaram a postura do presidente.

“É lamentável a atitude do presidente da República. Faz com que se coloque em pânico a própria sociedade brasileira. Acho que é de uma irresponsabilidade muito grande”, disse o presidente da Assembleia Legislativa, deputado Ademar Traiano (PSDB), que até então, mantinha uma postura de apoio ao governo Bolsonaro e ao presidente.

“Não é o momento para o oportunismo político, para a demagogia. E sobretudo, não é momento para irresponsabilidade. Momentos de crise como a que vivemos são pródigos para o surgimento dos oportunistas de plantão”, afirmou o senador Alvaro Dias (Pode).

“Rede Nacional precisa ser usada para informar. Lamento, profundamente, a atitude do senhor presidente da República de zombar da ‘gripezinha’ que atinge a população brasileira”, considerou o deputado federal Rubens Bueno (CDN).

Forma

Mesmo parlamentares que mantinham até então uma postura de aliados incondicionais de Bolsonaro manifestaram reservas à atitude do presidente, condenando não o conteúdo, mas a forma do pronunciamento. “Entendo que JB está correto na tese de isolar os grupos de risco e fazer o Brasil voltar ao trabalho, mas errou no tom. Diante da situação, é preciso passar confiança para pessoas retomarem suas vidas. As provocações não ajudaram nisso. É como vender remédio em frasco de Qboa”, comparou o deputado federal Paulo Martins (PSC).

“O pronunciamento do PR foi importante ontem. A decisão foi corajosa, eu tenho estudado muito, manhã, tarde, noite e madrugada, mas certamente nosso Presidente tem muito mais informações do que todos nós temos hoje sobre o assunto. Na minha simples opinião, talvez a forma que apresentou, contudo, poderia ter sido mais amena, justamente para evitar críticas”, comentou a deputada federal Aline Sleutjes (PSL).

“Irresponsável. A fala do presidente da República contradiz os dados, a ciência, e as lideranças mundiais. É um tapa na cara da população e dos profissionais que estão se doando e se expondo para salvar o próximo. O Brasil não merece isso!”, considerou o deputado Aliel Machado (PSB).

Publicidade

Plantão de Notícias

Mais notícias

DESTAQUES DOS EDITORES