Publicidade
Prevenção

Prefeitura esclarece dúvidas sobre a campanha de vacinação contra a gripe

(Foto: SMCS)

A campanha de vacinação contra a gripe começou no dia 10 e vai até 31 de maio, conforme o calendário do Ministério da Saúde. A vacina é aplicada nas 110 unidades de saúde de Curitiba.

Neste ano, a campanha tem duas fases: na primeira, que vai até esta quinta-feira (18/4), são vacinadas gestantes, crianças entre 6 meses e 6 anos incompletos (5 anos, 11 meses e 29 dias) e puérperas (mães de recém-nascidos de até 45 dias). 
A partir da próxima segunda-feira (22/4), a vacina contra a Influenza será aplicada em todos os públicos prioritários estabelecidos pelo Ministério da Saúde.

 



O Centro de Epidemiologia da Secretaria Municipal da Saúde esclarece as principais dúvidas sobre a doença

Quem pode se vacinar nas unidades de saúde?

Na primeira fase (10/4 a 18/4), podem se vacinar 
- Gestantes; 
- Puérperas (mães de recém-nascidos até 45 dias);
- Crianças entre 6 meses e 6 anos incompletos (5 anos, 11 meses e 29 dias)

Na segunda fase da campanha, a partir de 22/4 até 31/5, podem se vacinar: 
- Gestantes;
- Puérperas (mães de recém-nascidos até 45 dias);
- Crianças entre 6 meses e 6 anos incompletos (5 anos, 11 meses e 29 dias)
- Pessoas maiores de 60 anos;
- Profissionais da saúde; 
- Pessoas com doenças crônicas não transmissíveis ou outras condições clínicas especiais (exemplo: diabetes, doenças cardíacas e respiratórias, distúrbios que comprometem a imunidade, como o câncer, e outras);
- Professores da rede pública e privada.

Onde se vacinar?

A vacina ofertada pelo Sistema Único de Saúde é aplicada nas unidades de saúde. Em Curitiba, são 110 postos ofertando a vacinação de segunda a sexta-feira, nos horários de atendimento de cada unidade. A vacinação não é feita nas Unidades de Pronto Atendimento (UPAs), locais destinados apenas ao atendimento de casos de urgência e emergência.

Por que a campanha deste ano foi dividida em duas fases?

A mudança visa ampliar a cobertura vacinal entre as grávidas e as crianças – faixas da população em que os índices de vacinação ficaram abaixo do esperado em todo o Brasil em anos anteriores - mas não prejudica os demais públicos. 
O Ministério da Saúde também iniciou a campanha com uma semana de antecedência em relação aos anos anteriores, mantendo tempo hábil para que as pessoas dos demais grupos se imunizem antes da chegada dos dias mais frios, quando o vírus se propaga com maior intensidade.

Como o Ministério da Saúde define os grupos prioritários que vão receber a vacina contra a gripe gratuitamente?

A escolha segue recomendação da Organização Mundial da Saúde (OMS). Essa definição também é respaldada por estudos epidemiológicos e pela observação do comportamento das infecções respiratórias, que têm como principal agente os vírus da gripe. São priorizados os grupos mais suscetíveis ao agravamento de doenças respiratórias.

Vai ter algum dia para vacinação aos sábados contra a gripe?

Em 4 de maio será realizado o “Dia D” de mobilização, com a abertura de algumas unidades de saúde, para vacinar aquelas pessoas que não podem nos dias de semana.

Quais os documentos necessários para se vacinar contra a gripe?

É necessário apresentar na unidade de saúde carteira de vacinação e documento de identificação com foto. Pessoas com doenças crônicas ou com outras condições clínicas especiais devem apresentar também prescrição médica, especificando o motivo da indicação da vacina.

Pacientes cadastrados em programas de controle das doenças crônicas do SUS deverão se dirigir aos postos em que estão registrados para receberem a dose, sem necessidade de prescrição médica.

Puérperas devem apresentar certidão de nascimento do bebê, cartão-gestante ou documento do hospital em que ocorreu o parto. Os profissionais do público-prioritário, como professores e trabalhadores da Saúde, devem apresentar contracheque ou crachá.

Posso tomara a vacina contra a gripe após ter tomado outras vacinas recentemente ou preciso esperar?

Sim. A vacina contra a gripe pode ser feita com todas as vacinas do calendário e não há necessidade intervalo com outras vacinas. Inclusive, durante a vacinação, muitas unidades vão realizar a atualização do calendário vacinal dos usuários.

A gripe é uma doença grave? 

A gripe (influenza) ocorre durante todo o ano, mas é mais frequente nos meses do outono e do inverno, quando as temperaturas caem, principalmente no Sul e Sudeste do país. Trata-se de uma infecção viral que afeta o sistema respiratório, mais precisamente o nariz, a garganta e os brônquios.
Em alguns casos, a doença pode trazer sérias complicações e até matar. Por isso, é importante que o público prioritário busque a imunização para se prevenir, pois essas pessoas são consideradas mais vulneráveis.

Como ocorre a transmissão?

O contágio ocorre de forma direta, por meio das secreções das vias respiratórias da pessoa contaminada ao falar, tossir ou espirrar, ou de forma indireta, pelas mãos que, após contato com superfícies recém-contaminadas por secreções respiratórias, podem levar o agente infeccioso direto à boca, aos olhos e ao nariz.

Quais são os sintomas da gripe?

Febre, tosse, mal-estar generalizado, dor de garganta, dor de cabeça, dor no corpo, calafrios.

O que fazer na ocorrência destes sintomas?

É importante buscar atendimento médico para receber orientação sobre a necessidade de tratamento medicamentoso com o antiviral fosfato de oseltamivir (Tamiflu).

Qual o período de incubação do vírus e de transmissibilidade?

O período de incubação do vírus (desde o momento que a pessoa o adquire até a manifestação dos sintomas) varia de um a quatro dias. Já o período em que o vírus é transmitido pelos adultos vai desde um dia antes do início dos sintomas até sete dias depois de adoecer.

As crianças podem eliminar o vírus por até duas semanas. Pessoas imunocomprometidas podem expelir o vírus por períodos prolongados, até meses.

Quais são os vírus da gripe?

A gripe pode ser causada pelo vírus influenza A, B, C. Os vírus A e B apresentam maior importância clínica. Estima-se que as cepas A (H3N2, H1N1) causem 75% das infecções, mas em algumas temporadas, ocorre o predomínio das cepas B. Os tipos A e B sofrem frequentes mutações e são responsáveis pelas epidemias sazonais. O vírus C raramente causa doença grave.

Qual a situação atual da doença em Curitiba?

É tranquila, sem registro de óbitos e nem aumento de casos em relação ao mesmo período de anos anteriores. Mesmo assim, é importante reforçar as ações de higiene para evitar a proliferação do vírus. Além disso, é recomendável que as pessoas que fazem parte do grupo de risco se vacinem, pois elas têm maior possibilidade de passar por complicações, caso fiquem gripadas.

O que é resfriado?

O resfriado também é uma doença respiratória frequentemente confundida com a gripe, mas é causado por vírus diferentes. Os vírus mais comuns associados ao resfriado são os rinovírus, os vírus parainfluenza e o vírus sincicial respiratório (VSR), que geralmente acometem as crianças. Os sintomas do resfriado, apesar de parecidos com os da gripe, são mais brandos e duram menos tempo, entre dois e quatro dias.

Quais são as orientações de higiene para evitar a gripe?

Lavar as mãos com frequência utilizando água e sabão ou passando álcool 70. Cuidar ao falar e tossir perto de outras pessoas. Ao tossir, cubra a boca com a parte interna do braço. Não coloque a mão na frente da boca, pois se você tocar em outras superfícies irá contaminá-las.

Outras dicas são utilizar lenço descartável para higiene nasal; evitar tocar mucosas de olhos, nariz e boca; não compartilhar objetos de uso pessoal, como talheres, pratos, copos ou garrafas; evitar aglomerações e contato próximo com pessoas que apresentem sinais ou sintomas de influenza.

Em ambientes que permanecem fechados deve-se realizar a limpeza com álcool 70 e evitar o acúmulo de poeira. Também é importante adotar hábitos saudáveis, como alimentação balanceada e ingestão de líquidos.

 

Contra quais tipos de vírus a vacina ofertada protege? 

 

A vacina contra a gripe que será aplicada nas unidades de saúde é ofertada pelo Sistema Único de Saúde (SUS), do tipo trivalente: contém duas cepas do tipo A do Influenza e uma cepa do tipo B e protege contra os vírus H1N1, o H3N2 (ambas do Tipo A) e o influenza do tipo B Victoria.

A vacina aplicada este ano é a mesma do ano passado?

Ocorreram duas mudanças em relação à vacina trivalente indicada do ano passado, com cepas diferentes para o H3N2 e para o a cepa do tipo B. A vacinação anual é indicada para o público-alvo, mesmo para quem já se vacinou em ano anterior, pois o vírus da gripe sobre frequentes mutações.

A vacina pode causar gripe?

Não, porque é feita com vírus inativos e fragmentados. Isso significa que o vírus da vacina está morto. Gripes e resfriados ocorridos após a administração da vacina podem ser coincidência e não estão relacionados a vacina.

Se eu me vacinar contra a gripe, ele pode me deixar doente nos dias seguintes?

O agente imunizante da vacina contra o Influenza leva em torno de dez dias para ter efeito. Nesse período, há uma janela para outras ocorrências, como um outro vírus, já incubado no indivíduo, se manifestar, causando sintomas de gripe.

Há alguma contraindicação para a vacina?

A vacina contra o vírus Influenza pode ser feita junto com todas as vacinas do calendário, sem necessidade de intervalo com outras vacinas. Ela é contraindicada apenas para quem apresentou reação em doses anteriores ou tenha alergia grave ao ovo de galinha e seus derivados.
 

Há alguma orientação especial para doadores de sangue?

Recomenda-se aguardar 48 horas para a realização da doação de sangue, após a vacinação da gripe.

Quanto tempo leva até a vacina fazer efeito?

De duas a três semanas após a vacinação.

Ao vacinar a gestante, o feto também será protegido?

Sim. A gestante ficará protegida, assim como o feto e até o bebê recém-nascido até o os seis meses.

O que fazer se apresentar sintomas de gripe?

O serviço de saúde deve ser procurado imediatamente caso apresente algum desses sintomas: dificuldade para respirar, lábios com coloração azulada ou roxeada, dor ou pressão abdominal ou no peito, tontura ou vertigem, vomito persistente, convulsão.

Indivíduos que apresentem sintomas de gripe devem evitar sair de casa durante o período de transmissão da doença (até 7 dias após o início dos sintomas); restringir ambiente de trabalho para evitar disseminação; evitar aglomerações e ambientes fechados, procurando manter os ambientes ventilados; e adotar hábitos saudáveis, como alimentação balanceada e ingestão de líquidos.

Como é feito o tratamento da gripe?

Mesmo pessoas vacinadas, ao apresentarem os sintomas da gripe - especialmente se são integrantes de grupos mais vulneráveis às complicações - devem procurar, imediatamente, uma unidade de saúde. O médico é que vai avaliar a necessidade de prescrever uso do antiviral fosfato de oseltamivir (Tamiflu). 

Esse medicamento está indicado para todos os casos de síndrome respiratória aguda grave e casos de síndrome gripal com condições e fatores de risco para complicações. O remédio é prescrito em receituário simples e está disponível no Sistema Único de Saúde (SUS).

O início do tratamento deve ser preferencialmente nas primeiras 48 horas após o início dos sintomas. O antiviral apresenta benefícios mesmo se administrado após 48 horas do início dos sintomas.

DESTAQUES DOS EDITORES