Publicidade
Construção

Prefeitura fará novo leilão de Certificados de Potencial da Linha Verde

Linha Verde
Linha Verde (Foto: Divulgação/Pedro Ribas/SMCS)

Prefeitura de Curitiba levará a leilão, no dia 8 de maio, 30 mil Certificados de Potencial Adicional de Construção (CEPAC), como parte da Operação Urbana Consorciada Linha Verde (OUC-LV). Os CEPAC serão ofertados a R$ 336,00 a unidade.

Será o primeiro leilão da terceira distribuição pública de Certificados de Potencial Adicional de Construção da Linha Verde autorizada pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM). O Anúncio de Início da nova distribuição e o edital constam no Suplemento 1, do Diário Oficial do Município nº 67, publicado na segunda-feira (8/4).

Com participação aberta, o leilão será feito pela B3 S.A. (Brasil, Bolsa, Balcão), das 12h30 às 12h45, do dia 8 de maio sob a coordenação do BB – Banco de Investimento S.A.

Os interessados podem procurar o BB – Banco de Investimento S.A., instituição financeira que coordena a operação, ou as corretoras credenciadas. Mais informações podem ser acessadas pelo site www.curitiba.pr.gov.br/operacaourbana ou no banner disponível no portal da Prefeitura.

Leilões

Desde a retomada dos leilões pela Prefeitura, no início da atual gestão, foram vendidos R$ 3,5 milhões em Certificados de Potencial Adicional de Construção da Linha Verde. Destes, R$ 2,5 milhões foram provenientes da comercialização de 7.619 certificados em leilão de setembro de 2017 e R$ 1 milhão da venda de 3.024 CEPACs no terceiro e último leilão da segunda distribuição, realizado em maio do ano passado.

Desde o início da Operação Urbana Consorciada Linha Verde, há sete anos, houve cinco leilões (2012, 2014, 2016, 2017, 2018) cuja soma arrecadou R$ 40,1 milhões, com a venda de 178,8 mil certificados.

Potencial adicional

Com a aquisição do Valor Mobiliário, o investidor adquire o direito à Área de Construção Adicional (ACA) nos empreendimentos dentro da abrangência da OUC Linha Verde.

Ao longo do eixo da Linha Verde, a Operação Urbana foi dividida em três setores (Norte, Central e Sul) com um potencial adicional de construção equivalente a 4,47 milhões de metros quadrados, compreendendo áreas para usos habitacionais, comércio e serviços.

A divisão da chamada Área Adicional de Construção (ACA) tem no setor Norte 1,28 milhão de metros quadrados disponíveis, dos quais 75% (960 mil m²) para empreendimentos residenciais e 25% (320 mil m²) para não residenciais (comércio e serviços).

No setor Central são 1,27 milhão de m², sendo 60% (765 mil m²) para residências e 40% (510 mil m²) para edificações não residenciais.

No setor Sul são 1,92 milhão de m² de Área Adicional de Construção, sendo 80% (1.535 mil metros quadrados) para habitações e 20% (385 mil m²) para empreendimentos comerciais.

Os três setores somam 4.475.000 metros quadrados de área adicional, sendo 73% (3,26 mil metros quadrados) para habitações e 27% (1,21 mil m²) para o comércio e serviços.

DESTAQUES DOS EDITORES