Publicidade
Esporte

Presidente do Grêmio cita empatia e diz confiar em renovação com Renato

PORTO ALEGRE, RS (UOL/FOLHAPRESS) - O Grêmio ainda não abriu negociações com Renato Portaluppi para 2019, mas confia que a prorrogação de contrato acontecerá. Depois de vencer o Tucumán (ARG) por 2 a 0, no jogo de ida das quartas de final da Libertadores, o presidente do clube gaúcho, Romildo Bolzan Júnior, citou a boa relação com o treinador e brincou que o acerto poderia ocorrer em cinco minutos.

Renato tem vínculo com o Grêmio até dezembro. No cargo há dois anos —completados nesta terça (18)—, o treinador comandou o time gaúcho nas recentes conquistas da Copa do Brasil, Taça Libertadores, Recopa Sul-Americana e Campeonato Gaúcho.

"Nós conversamos muito, como ele mesmo diz, temos linha direta. Seguidamente vou ao CT e nós dialogamos bastante. É um processo de extremo entrosamento e empatia. Esses dias, ele falou que poderíamos sentar e renovar rapidamente. Eu brinquei com ele e disse 'então vamos lá, vamos renovar'. Eu creio que não demoraremos cinco minutos para sentar e acertar um novo contrato", disse o presidente gremista.

Ídolo como jogador, Renato Portaluppi está na terceira passagem como treinador do Grêmio e obteve bons resultados. Além de recuperar jogadores, o técnico ajudou o clube a sair do jejum de 15 anos sem títulos relevantes.

"O segredo é o trabalho, né? É ter um grupo bom. No meu caso, ter linha direta com o presidente. Tudo que peço, dentro do possível, a diretoria me dá. Sempre que peço um jogador, o clube me dá. E depois eu cobro o grupo. Os jogadores são diferenciados, se dão bem e têm qualidade. O Grêmio está há dois anos em lua-de-mel. Tem jogador na seleção, jogador vendido e jogador surgindo na base. Títulos em campo. É um trabalho forte e bom do presidente ao roupeiro", afirmou o treinador.

A direção do Grêmio avalia que Renato seja a melhor opção ao clube, por ser uma figura identificada, com crédito perante o torcedor e ter forte gestão de pessoas. Também está na análise o entendimento de que o ambiente proporcionado em Porto Alegre é ímpar —na comparação com outros clubes brasileiros.

O plano de Renato é discutir o futuro ao final da temporada, mas o assédio do Flamengo já aconteceu antes disso. Em 2017 e 2018, o clube carioca tentou acerto durante a temporada e ouviu negativa.

DESTAQUES DOS EDITORES