Publicidade

Prisão de militar brasileiro na Espanha alerta para possível retomada de rota de tráfico

SEVILHA, ESPANHA (FOLHAPRESS) - A detenção do sargento Manoel Silva Rodrigues com 39 kg de cocaína em um avião da FAB (Força Aérea Brasileira) no aeroporto de Sevilha indica a possível retomada de uma das principais rotas de tráfico entre Brasil e Europa, dizem agentes da equipe contra drogas da Guarda Civil espanhola  ouvidos pela reportagem.

Na década passada, os aeroportos da região da Andaluzia (no Sul da Espanha, onde está Sevilha) ficaram conhecidos como ponto de chegada de drogas oriundas da América do Sul. A chamada "rota quente" da cocaína, no entanto, havia caído em desuso devido ao aumento da fiscalização nos dois continentes.

Na imprensa local, especialistas afirmam que o destino da droga transportada era, muito provavelmente, uma quadrilha da própria região. O carregamento foi avaliado em cerca de 1,5 milhão de euros. 

A possível retomada da rota de tráfico internacional e, principalmente, a prisão de um militar transportando drogas no avião presidencial brasileiro abalaram esta quarta (26) na normalmente tranquila Sevilha.

Dezenas de jornalistas se aglomeraram na porta do tribunal onde o sargento brasileiro foi apresentado a um juiz espanhol. 

O magistrado determinou que Manoel Rodrigues permaneça preso, sem direito a fiança. Na sessão, o brasileiro foi representado por um defensor público, como auxílio de um intérprete para português.

A imprensa espanhola --e de outros países europeus-- vem dando grande visibilidade ao caso. As reportagens sobre a detenção do militar brasileiro seguem como as mais lidas e comentadas. 

Publicidade

Plantão de Notícias

Mais notícias

DESTAQUES DOS EDITORES