Publicidade
Clínicas e laboratórios

Procura pela vacina da gripe já dobrou em Curitiba

(Foto: Valquir Aureliano)

A campanha nacional de vacinação contra a gripe entra em sua fase mais aguda. Desde o dia 10 de abril, crianças, gestantes e puérpuras estão sendo vacinadas. Nesta segunda-feira (22), foi vez de ter início a campanha ser aberta a outros públicos-alvo, ao mesmo tempo em que a procura pelas clínicas particulares de imunização começou a crescer. Em alguns laboratórios chegou a dobrar.

“Diferende do começo de abril, semana passada já aumentou bastante a procura. Pelo menos dobrou em relação ao início da vacinação”, afirma a médica Thanara Truner da Silva, sócia-proprietária da Previnna (Av. João Gualberto, 1779 – Cj. 01 – Anexo ao CMEB). Segundo ela, o ieal é o paciente tomar a dose o quanto antes para já chegar no inverno imunizado. “O ideal é tomar (a vacina) no outo para no inverno estar com os anticorpos 100%. A imunização completa acontece de 10 a 15 dias depois da vacinação”, complementa.

Segunda fase

Na segunda fase da campanha nacional de vacinação serão imunizados os trabalhadores da saúde, povos indígenas, idosos, professores de escolas públicas e privadas, pessoas com comorbidades e outras condições clínicas especiais, adolescentes e jovens de 12 a 21 anos sob medidas socioeducativas, funcionários do sistema prisional e pessoas privadas de liberdade. Além disso, crianças, gestantes e puérpuras ainda podem procurar os postos de saúde.

Nesta segunda-feira (22), o Ministério da Saúde ainda incluiu policiais civis e militares, bombeiros e membros das Forças Armadas no público-alvo da campanha.

Publicidade

Plantão de Notícias

Mais notícias

DESTAQUES DOS EDITORES