Publicidade
Song book

Projeto traz Caderno de Partituras com pesquisa musical de cinco continentes

Os pesquisadores musicais Liane Guariente e Plinio Silva
Os pesquisadores musicais Liane Guariente e Plinio Silva (Foto: Liza Strapasson)

Os pesquisadores musicais Plinio Silva e Liane Guariente estão lançando o songbook Música dos Povos - Caderno de Partituras uma publicação bilíngue (português-inglês) com 186 páginas e dois CDs que contemplam a música tradicional de cinco continentes. A ideia é proporcionar aos músicos e pesquisadores o acesso a parte do acervo desenvolvido por eles desde de 1994 que resultou na formação de três grupos musicais – Terra Sonora, Bayaka e Omundô – 13 discos e mais de 800 temas transcritos ao longo de 24 anos. O trabalho é inédito no Brasil. O lançamento, com palestra dos autores, acontece nos dias 12, segunda-feira, às 15h30 na Faculdade de Artes do Paraná; e 14 de novembro, quarta-feira, às 19h30, no Conservatório de Música Popular Brasileira de Curitiba.
O idealizador do projeto, Plinio Silva, conta que Música dos Povos tem como objetivo principal compartilhar o conhecimento. “A ideia é semear. Ao longo dos anos eu fui percebendo que esse trabalho deve ser transmitido adiante. É preciso compartilhar”. Por isso, para ele a pesquisa é tão importante quanto a possibilidade de cada músico, ao entrar em contato com essas partituras, amplificar esses temas com sua própria voz instrumental.
O songbook traz 46 partituras, divididas nos cinco continentes: África, Américas, Oceania, Europa e Ásia. O material é todo manuscrito, com a reprodução das transcrições que Plínio fez a mão. Ele explica que apesar das diferenças geográficas, a maior parte dos temas têm como ponto em comum as celebrações da vida, do trabalho e das heranças orais e religiosas. A cantora e pesquisadora Liane Guariente, coautora do projeto, escreveu boa parte dos textos do livro. Ela também é a responsável pela parte fonética das músicas que são cantadas nos vários idiomas diferentes, explicando e facilitando a interpretação vocal dos temas.
Para cada transcrição feita no Música dos Povos há uma música gravada. O songbook traz encartado dois CDs com 10 faixas para cada continente, exceto Oceania que ficou com seis, totalizando 46 temas. Esse material foi retirado da discografia que Plínio tem com os grupos musicais que ele fundou: Terra Sonora, Bayaka e Omundô. “É um material bem completo. O músico vai pode ler a partitura e ouvir a música. Tudo em cima do meu trabalho com a Liane”, resume.
Sobre a abrangência geográfica deste songbook Plínio Silva comenta que isso veio de uma forma muito natural. “Desde o início eu quis o leque aberto”. Música dos Povos - Caderno de Partituras contempla a música de locais curiosos como Transilvânia, Burundi, Rajastão, Ilha de Páscoa entre outras dezenas de regiões do mundo. “O nosso trabalho sempre se caracterizou pela diversidade geográfica, cultural e timbrica. Mas também existe uma preocupação com a contextualização não só musical, mas histórica e geográfica desses temas. Tem muita gente que não sabe onde são os lugares de onde vem a música que cantamos”. Assim, no Caderno de Partituras, ele apresenta o país de cada transcrição feita, com um pequeno verbete contextualizando a região.

Histórico
Projeto Música dos Povos, foi idealizado por Plínio Silva em 1994 e seguiu a nova tendência mundial de artistas compositores: estudar o patrimônio cultural imaterial da humanidade para encontrar sonoridades ainda pouco exploradas. Plínio transcreveu em pouco tempo, de punho, as vinte primeiras partituras, com temas musicais tradicionais de vários países. Constituiu um grupo musical, o Terra Sonora, que habilitou a sonoridade da proposta, utilizando uma grande variedade instrumental.
O Terra Sonora imortalizou esse repertório inédito na seara brasileira com oito álbuns – Terra Sonora, Continentes, Terras, Trevas, Orvalho, Distâncias, Migração e Imigração, num total de trezentos temas gravados e oitocentas transcrições, arranjos e composições, aproximadamente. Plínio Silva, em parceria com Liane Guariente, criou na Universidade Estadual do Paraná, o grupo Bayaka que gravou quatro CDs –Música dos Povos I, II, III e IV – com cerca de cento e cinquenta temas. Os dois também criaram o grupo Omundô, que gravou um disco em 2011.  A música dos povos tem “sustentabilidade”, apresenta o planeta como uma pátria. Plínio deseja aos ouvintes e músicos colaboradores do Projeto Música dos Povos o que deseja para si mesmo: viver com respeito, viver fazendo música, viver em silêncio.

Serviço: 
Lançamento do songbook Música dos Povos - Caderno de Partituras (186 páginas e dois CDs) com palestras dos autores, Plinio Silva e Liane Guariente.
Dia 12, segunda-feira, às 15h30 na Faculdade de Artes do Paraná (R. dos Funcionários, 1357 – Cabral);
Dia 14 de novembro, quarta-feira, às 19h30, no Conservatório de Música Popular Brasileira de Curitiba (R. Mateus Leme, 66 – esquina com Treze de Maio – Largo da Ordem).
Os livros custam R$50 e também podem ser pedidos pelo site: pli.silva1313@gmail.com

Publicidade

Plantão de Notícias

Mais notícias

DESTAQUES DOS EDITORES