Após atentado

PT pede reforço na segurança do acampamento e do evento no Dia do Trabalhador

(Foto: Ernani Ogata)

O presidente estadual do PT, Florivaldo Fier, o Doutor Rosinha, foi recebido na manhã deste sábado  (28) pelo tenente Coronel Arthur Costa, diretor geral da Secretaria de Segurança, pelo delegado-geral da Policia Civil, Naylor Gustavo Robert de Lima e pelo delegado da Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa, Fábio Amaro. Na pauta, o atentado ao acampamento pró-Lula no Santa Cândida, que deixou dois feridos na madrugada deste sábado. Em entrevista coletiva após a reunião, Rosinha afirmou que a Secretaria garantiu reforço na segurança do acampamento,com mais viaturas, empenho em prender rapidamente o autor dos mais de 20 disparos contra os acampados e um plano de segurança para as comemorações do Dia do Trabalhador, na próxima terça-feira (1), na Praça Santos Andrade, em Curitiba.

"Eles nos receberam com diálogo. A Segurança demonstrou o desejo de resolver rápido o caso de tentativa de homicídio no acampamento e isso ficou claro logo após a ocorrência, quando a PM, a policia cvil e a polícia científica fizeram um trabalho exemplar", afirmou Rosinha. "Eles garantiram uma segurança mais presente no acampamento, com mais viaturas".

Com a previsão de pelo menos 20 mil pessoas, Rosinha reforçou o pedido de um plano de ação para as comemorações do Dia do Trabalhador, "Não é só mais um fato isolado. Nós tivemos o ataque à caravana de Lula no Oeste, depois a violência contra integrantes por torcedores e agora esse atentado. São pelo menos vários ataques isolados que merecem atenção", afirmou ele. "Por sorte, o atentado à caravana de Lula não teve feridos, mas agora o companheiro Jeferson está na UTI. Em anos de militancia, eu nunca vi tanta apologia à violência, até por candidatos a presidente. Nós, ao contrário, sempre fomos pacíficos. 
,

,

,