Publicidade
Empresa familiar

Quase escondida, sorveteria faz sucesso no Tingui há 39 anos

Família Nery está à frente da sorveteria Quebra Gelo: 37 anos de história
Família Nery está à frente da sorveteria Quebra Gelo: 37 anos de história (Foto: Franklin de Freitas)

Tudo começou numa garagem localizada no bairro Tingui, em 1980. Para ajudar a família nas finanças da casa, Zaira Nery, uma empreendedora nata, resolveu começar a produzir picolés na chácara em que morava. Enquanto ela ficava responsável pela produção, os filhos e a nora iam para a rua vender os gelados, que ficavam guardados em caixas de isopor.

Trinta e oito anos depois, o negócio cresceu. Cresceu tanto que, se antes a sorveteria era um pedaço do quintal de casa, agora a casa da família Nery é que virou um pedaço da sorveteria Quebra Gelo, um dos estabelecimentos mais tradicionais da região.

“Minha avó sempre foi muito empreendedora, estava fazendo negócios, e um dia apareceu essa máquina de picolé. Era uma máquina pequena, refrigerada, que precisava de álcool para poder gelar e tinha que ligar com antecedência, senão não gelava”, conta Patrícia Nery, 47 anos, gerente da sorveteria e terceira geração da família a tocar o negócio.

Dois anos depois de começar a produzir picolés, Zaira oficializou o negócio em 1982 e também expandiu a produção, passando a comercializar sorvetes de massa. Hoje, já são mais de 30 sabores de sorvete e outros 30 e tantos de picolés, produzidos num equipamento moderno e diferente daquele que a maioria das sorveterias da cidade usam. “Então a gente pode produzir a quantidade de calda que quer e os sabores, é só escolher”, explica Patrícia.

Os sabores mais pedidos são o de flocos e iogurte com amora, no caso dos sorvetes de massa, e de limão, uva, loeite condensado, milho verde e skimó, para os picolés. Por dia, a empresa produz e comercializa 1,2 mil litros de sorvete. Um sucesso tão grande que surpreende aqueles que começaram o negócio, casos de Nerivaldo Nery, 71 anos e atual proprietário da sorveteria, e sua esposa Marli Valcanaia Nery.

“Meus pais acreditam e não acreditam (no quanto o negócio cresceu). Eles veem a quantidade de sorvete que produzimos, mas demora a cair a ficha do alcance que tem a marca do sorvete. Na temporada, produzimos 1.200 litros por dia”, conta Patrícia, que trabalha desde os 15 anos de idade no negócio da família.

Por conta dos dias de calor do último verão, inclusive, a empresa registrou uma ótima temporada de vendas, conta a gerente. A cada semana, de 1 mil a 1,5 mil pessoas passaram pela sorveteria. “Foi a melhor temporada que já tivemos”, comemora Patricia.

A Quebra Gelo Sorveteria funciona todos os dias, das 13h30 às 19 horas, e nos finais de semana a partir das 10h30. O endereço é Rua João Batista Trentin, 961.

O sucesso da Quebra Gelo é ainda mais espantoso por causa do seu endereço. A loja fica cerca entre 300 a 400 metros da Rua da Cidadania do Boa Vista, um pouco distante dos centros comerciais mais importantes da região. Ou seja, quem conhece a Quebra Gelo acaba retornando e vira freguês assíduo.

Publicidade

Plantão de Notícias

Mais notícias