Publicidade
Operação Rádio Patrulha

Ratinho Jr mostra certidão para provar que coordenador de sua campanha não é investigado

Ratinho Jr mostra certidão para provar que coordenador de sua campanha não é investigado

A campanha do candidato ao governo do Paraná Ratinho Junior (PSD) obteve nessa segunda-feira (17), no Ministério Público Estadual, uma certidão negativa para documentar que Norberto Ortigara, ex-secretário da Agricultura e Abastecimento, e coordenador da campanha de Ratinho Jr, não é investigado na Operação Rádio Patrulha, que apura fraude em licitação de obras em estradas rurais no Programa Patrulha do Campo. O envolvimento do ex-secretário foi ventilado pela governadora Cida Borghetti (PP), candidata à reeleição. 

A certidão, emitida pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado, aponta que "nada consta" em desfavot de Ortigara no MP. Cida Borghetti sugeriu que o ex-secretário administrava o programa alvo das investigações. "Quem administrava esse programa era a Secretaria de Agricultura, com o secretário Norberto Ortigara”, disse Cida em entrevista à RPC-TV na semana passada. O candidato João Arruda (MDB) também reforçou a acusação. “O Norberto Ortigara, que era secretário [de Agricultura] do [ex-governador Beto] Richa, envolvido nesse escândalo das patrulhas, é o coordenador da campanha dele [Ratinho Júnior]. Ele tem muito que explicar”, acusou Arruda. 

Nesta terça-feira (18), Ratinho reforçou que o coordenador de sua campanha não é investigado. “O Ministério Público soltou uma certidão negativa dizendo que ele não está sendo investigado e que nada consta contra ele”, disse. (Veja a íntegra da certidão)

O Programa Patrulha do Campo foi lançado em 2012 e envolvia a secretaria de Agricultura e a Companhia de Desenvolvimento Agropecuário do Paraná (Codapar), mas também a Secretaria de Infraestrutura e Logística (Seil), na figura do Departamento de Estradas e Rodagens (DER). As duas primeiras respondiam pelos aspectos técnicos do Patrulha do Campo, avaliando as propostas e capacitando os profissionais que operariam o maquinário. O DER foi quem contratou as fornecedoras e pagava e fiscalizava o uso dos veículos na execução dos reparos nas estradas rurais. 

As licitações, que são investigadas, ressalta Ratinho Jr, foram coordenadas pela Secretaria de Infraestrutura, cujo secretário era o irmão de Beto Richa, Pepe Richa, que é alvo da operação. 

DESTAQUES DOS EDITORES